Foto: SergeyNivens/istock
Comportamento Vida Prática

Você conhece algum manipulador? Desvende os tipos mais comuns

Depois de assistir a um capítulo da sua novela favorita e perceber o quanto a mocinha se deixa manipular, surge aquela interrogação: será que isso acontece na vida real? Manipuladores são sim bastante comuns no cotidiano e surgem em diversos perfis. O psicólogo e professor João Oliveira, doutor em Saúde Pública e Mestre em Cognição e Linguagem UENF, apresenta os tipos mais comuns e ainda dá dicas para você reconhecê-los.

+ Quer saber o que seu cabelo diz sobre você? Jotha Cunha revela
+ Qual é o seu perfil financeiro: devedora, acomodada, poupadora ou investidora?
+ Qual é o seu perfil profissional: executora, analista, comunicadora ou planejadora? Descubra!

Perfil: Afeto negativo

É aquele que manipula pelo sentimento de afeto negativo, ou seja, “finge que está doente, que está morrendo, sempre pede auxilio e proteção para, na verdade, cobrir uma carência. Quase toda família tem um desses. Esse tipo aprende a ser assim ainda criança e usa essa arma ao longo da vida. Agora, é uma manipulação que pode ser prejudicial para ambos os lados, porque existe uma dependência emocional, ou seja, a pessoa finge estar ruim, mas às vezes até piora de verdade para continuar tendo atenção e recebendo afeto (que não possuía quando estava normal). É comum ela nem querer sair dessa situação, para não perder essa única vantagem no meio social em que está inserida”, diz o especialista.

Foto: oneinchpunch/istock
Fique esperta com pessoas agradáveis demais, que concordam em tudo com você. Foto: oneinchpunch/istock

Perfil: Farsa social

Você conhece alguém que é um amor de pessoa o tempo todo? Que a vida parece perfeita, que sempre é uma ótima companhia, feliz, bondoso, cordial, pensa como você? “Fique em alerta com pessoas muito agradáveis, que sempre concordam com tudo, elas podem até ser perigosas. Gente de verdade se irrita, discorda, sai do sério. Esse perfil finge ser alguém que não é, puxa o saco, é amigo de todos, quer convencer a pessoa de que ele é inofensivo para conseguir o que quer. E consegue!”, afirma João.

Perfil: Manipulador clássico

São os mais bem sucedidos profissionalmente: CEO’s, políticos, pessoas com perfil de vencedor. Por quê? “Eles usam verdades para concordar com você, mas também usam possibilidades (pode ser ou não verdade) e manipulam os outros por estratégia comportamental, ou seja, é alguém que saber ser simpático, mas também consegue ser negativo, é o que mais se aproxima do real”, destaca Oliveira.

Foto: AntonioGuillem/istock
As suas próprias emoções são a arma do manipulador contra você. Ele sabe o que te move. Foto: AntonioGuillem/istock

Como identificá-los?

“O primeiro passo é definir a intenção, porque o manipulador não tem só um perfil”, diz o especialista.

– Os manipuladores têm solicitações subliminares. “Ele não pede carona, diz que precisa ir a tal lugar, que é difícil de chegar. Age de tal forma que você se pronuncia e pensa que está tomando uma decisão.

– Eles usam as emoções: sabem o que mexe com você e usam isso a favor deles para te motivar a fazer o que querem.

– Observe o tempo verbal em que a pessoa fala. De acordo com o professor, “o manipulador sempre vai tentar resgatar algo do passado (um bom momento entre vocês) para justificar algo do futuro (um pedido). É uma cobrança indireta, pois em cinco minutos ele te pede algo que está precisando”.

Ele não bate de frente com você, finge que está na sua, “e sempre vai buscar uma solução ou melhor esclarecimento antes de te dar uma resposta”, diz o expert.

Foto: monkeybusinessimages/istock
Líderes em sua maioria são bons manipuladores, e sim, isso pode ser usado para o bem também. Foto: monkeybusinessimages/istock

É importante saber que, dependendo da situação, manipular não é ruim. Em geral, os manipuladores conseguem separar melhor a emoção da razão, e por isso agem com tanto sucesso. Esse raciocínio tem seu valor, afinal, como seria o mundo se todos fossem passionais? Agora, eles existem e são famosos também porque, “o universo está cheio de pessoas de boa índole, que tendem a acreditar que todos são como elas, e por isso caem tanto em manipulações. Não é porque você é bom que tudo vai dar certo, é preciso conhecer as estratégias ‘do mal’ para se defender”, lembra o psicólogo.

Advertisement

Enquetes

enquete

Qual assunto você mais gosta de ver na newsletter do DaquiDali?

Carregando ... Carregando ...