Meditar traz benefícios físicos, emocionais e mentais FOTO: thinkstock
Comportamento Saúde Vida Prática

Conheça os benefícios da meditação e aprenda como iniciar a prática em casa

A agitação da vida cotidiana é tanta que, às vezes, você só queria que o mundo parasse para poder descer dele? Existe uma maneira de alcançar esse objetivo – ou, pelo menos, a sensação de que tudo dentro de si, de fato, se acalmou e entrou em órbita novamente. A meditação é dos melhores caminhos nesse aspecto e requer, somente, alguns minutinhos do seu dia: a prática oferece, comprovadamente, inúmeras vantagens para o corpo, mente e espírito.

+ Automaquiagem para mães: guia rápid e prático para te deixar mais linda

+ Alimentos te ajudam a se recuperar das lesões musculares. Descubra quais

+ Sapatos personalizados, sustentáveis e feitos a partir de fungos. Você compraria essa ideia?

Para muitos, o conceito de como meditar pode não parecer muito claro, embora ele envolva, basicamente, concentração e técnicas de respiração. “A nossa mente é treinada, desde cedo, a ter atenção a muitas coisas diferentes ao mesmo tempo”, coloca Roberto Debski, especialista em medicina alternativa, psicólogo e diretor da clínica Ser Integral. Dessa maneira, torna-se realmente difícil, à primeira tentativa, ter sucesso nessa missão. Para começar a relaxar e experimentar o poder da terapia, o DaquiDali também montou um passo a passo, que ensina o modo mais fácil para entrar no modo zen e aplicá-lo em todos os aspectos do seu dia a dia.

Elimine o estresse

“A meditação surgiu no sudoeste asiático”, introduz Silvio Ricardo Rocha, professor de ioga no Clube Atlético Paulistano, conselheiro da Associação Palas Athena, assim como professor de meditação e ginástica meditativa lá também. Ele conta que, antigamente, a busca era pela interiorização para entrar em contato com o verdadeiro eu. “Hoje em dia, no ocidente, as pessoas procuram a meditação mais para acalmar a agitação do mundo moderno: são tantas oportunidades, ninguém quer perder nenhuma delas! Mas acontece que a mente não fica no foco, não fica presente; ela está sempre na frente. Isso leva ao estresse e às tensões – que trazem as dores, por consequência (de cabeça, insônia, dores musculares, gastrite, úlcera)”.

A prática da meditação melhora até o humor, aumentando a produção de seratonina no corpo FOTO: thinkstock
A prática da meditação melhora até o humor, aumentando a produção de seratonina no corpo FOTO: thinkstock

Aumente a concentração

Para Roberto Debski, através das técnicas da meditação é possível aumentar a atenção e a percepção. “E, com o treinamento, chegar a um estado ampliado de consciência: consegue-se um efeito de relaxamento, psicológico, e se tem uma melhoria nas várias condições de saúde”. Ele explica que, quando você medita, é capaz de moldar e equilibrar o sistema nervoso autônomo, aquele que coordena as funções involuntárias do corpo e tudo que é fisiológico nele, como a digestão, respiração, os batimentos cardíacos, entre outras.

Esqueça-se das dores

Ao diminuir a resposta ao estresse, há uma atenuação da pressão arterial – o que é extremamente benéfico para o relaxamento do organismo e, até mesmo, o equilíbrio dos índices de colesterol. “A meditação traz você para o momento presente”, coloca o professor Rocha.  De acordo com ele, a demanda pelas aulas e mudança da rotina com a inclusão desse tipo de filosofia aumentou bastante, e continua crescente. E não é para menos: segundo dados pesquisados pelo psicólogo Roberto Debski, a partir do hábito diário, acontece uma melhora considerável do sistema imunológico e uma diminuição da dor crônica em 30 a 40%.

Para meditar é preciso ter um único foco na mente. A respiração é um deles FOTO: thinkstock
Para meditar é preciso ter um único foco na mente. A respiração é um deles FOTO: thinkstock

Xô depressão

A meditação reduz a recidiva da depressão”, explica Debski. Estudos comprovaram que incluir o exercício mental nas atividades rotineiras durante o período de tratamento (mesmo que este esteja sendo feito por meio de antidepressivos) atenua as probabilidades de uma recaída em 50% dos casos. O especialista conta que a prescrição contínua de remédios fortes nessa situação colaboram para maiores chances do uso se tornar crônico. “O que deveria ser feito, além do médico receitar um psicotrópico, é orientar as pessoas que a meditação é uma técnica muito efetiva para melhorar o equilíbrio emocional”, ele enfatiza.

Memória de elefante

Ainda conforme as declarações do psicólogo, a meditação é capaz de alterar o cérebro, seu funcionamento e sua estrutura física. “Você tem uma ampliação nas áreas relacionadas à memória e ao córtex frontal, que é a parte do pensamento”. E isso influencia a função cognitiva também.

Como obter os benefícios

Até crianças podem meditar. Quando mais cedo, melhor FOTO: thinkstock
Até crianças podem meditar. Quando mais cedo, melhor FOTO: thinkstock

“A meditação que é mais feita, é aquela com o foco na respiração”, pontua Rocha. “Para quem nunca treinou a atenção, deveria começar com uma dinâmica de concentração, trabalhando os sentidos primeiramente”. E o que ele quer dizer aqui é tão simples como passar a notar o que constitui o entorno: quais os sons do ambiente, o que você enxerga com a visão periférica, o que sente com as mãos e por aí vai. A partir dessa execução, é entrar na meditação de fato: procurar um único foco a fim de parar a mente. “ No início, ela vai criar várias ‘necessidades desnecessárias’; mas é só se ater por um tempo, treinar; aos poucos, o ritmo interior irá desacelerar e você conseguirá atingir o objetivo. O foco estará, assim, presente”.

“Não é difícil”, complementa Debski. “Tem pessoas que falam que não conseguem ficar paradas, e você ensina para elas que, inclusive, têm técnicas de meditação caminhando!” Ele conta que até crianças podem entrar nessa, como uma ótima preparação para quando crescerem.

Passo a passo

Sente-se num lugar tranquilo da sua preferência. Pode ser numa cadeira, no chão, onde estiver mais confortável. Alinhe a coluna. Descruze os braços, coloque-os sobre as pernas ou no colo.

Respire e relaxe. Observe o fluxo respiratório: foque no ar entrando e saindo pelas narinas. Faça-o normalmente, da maneira como está acostumado. Preencha a sua capacidade pulmonar.

Para meditar, sente-se confortavelmente e relaxe o corpo FOTO: thinkstock
Para meditar, sente-se confortavelmente e relaxe o corpo FOTO: thinkstock

O pensamento vai vir, contudo, você vai manter o foco, silenciando o corpo e a mente. Toda vez que a cabeça viajar e as preocupações entrarem em ação, basta voltar a atenção à respiração. Sempre.

Aos poucos, você vai se habituando a isso, preparando o corpo e a mente. A evolução se dá com a prática e somente ela.

Em poucos minutos você conseguirá ter uma resposta de relaxamento. Se tiver possibilidade faça de 5 a 10 minutos. Porém, não adianta querer forçar muito no começo, senão, será difícil se acostumar. Vá aos poucos se preferir, com 3 minutinhos apenas, algumas vezes por dia.

Lembre-se que meditar é ter um único foco. Vai chegar num momento em que ele não será necessário: se diluirá e você entenderá, finalmente, o que é essa busca espiritual, a paz mental e o encontro com algo maior.

Advertisement

Enquetes

enquete

Qual tendência você acha mais difícil de usar?

Carregando ... Carregando ...