Foto: Tay-Jnr/iStock
Comportamento

Tire um tempo para si mesma aprendendo a ser sozinha sem ser solitária

Você já sentiu necessidade de ficar um pouco sozinha? Atualmente, querer ficar um pouco só se confunde muito com o fato de ser solitária e daí vem o medo da solidão. “Vivemos em um mundo onde, desde pequenas, nós mulheres somos educadas a acreditar que para sermos felizes precisamos namorar, casar e ter filhos. Nem a própria profissão às vezes entra nessa ‘lista de felicidade’. Mas é aí que entra a diferença: ser sozinha é apenas passar um tempo sem ninguém por perto, já o ser solitária é se sentir abandonada por todos, e achar que não tem a companhia de ninguém, o que pode desencadear o isolamento e a queda na solidão”, explica a psicóloga Camila Fernandes, especialista em abordagem cognitivo comportamental. É ela que dá três dicas para você aprender a se curtir sem neuras.

+ #SARAHAH! CONHEÇA OS PERIGOS POR TRÁS DO APLICATIVO DO MOMENTO

+ SUPERSINCERIDADE PODE GERAR PROBLEMAS E FAVORECER A SOLIDÃO

+ SOLIDÃO É DUAS VEZES PIOR PARA O RISCO DE MORTE PRECOCE DO QUE A OBESIDADE, DIZ ESTUDO

Conecte-se com você mesma

Já sentiu, mesmo em meio à família, a necessidade de ter um tempinho para si mesma? Se serão meses, semanas, dias ou uma manhã, isso é você que decide, mas fato é que todo mundo precisa desse espaço. Segundo a profissional, “esse desejo é o exemplo mais claro de que você quer ficar um pouco sozinha, e não estará solitária. É um momento para pensar na vida, em você mesmo, o que está sentido, um momento para comer algo que gosta sem preocupar com o todo, para ir a algum lugar sem depender se a maioria vai querer, e por aí vai. É conectar-se novamente com você mesma, lembrar quem é, o que quer, o que está fazendo para isso, e o que precisa mudar para melhorar”.

Não dê ouvidos a cobranças alheias. Elas aprisionam. Foto: SIphotography/iStock

Não se deixe abalar pela cobrança alheia

A mulher, de uma forma geral, é cobrada o tempo todo. Quando resolve parar, tirar um tempo para si, é constantemente chamada de egoísta, ou então solitária. “Não encontrou ninguém pra viajar com você?”. “Nossa fez 30 anos e ainda não namora?”. Essas são só algumas das frases que exemplificam esse pensamento de precisar de alguém para ser feliz, como se não fosse possível curtir sua própria companhia. “É só olhar em volta, quantos casais você não conhece que nitidamente estão infelizes? Às vezes, você pode estar rodeada de gente e, mesmo assim, sentir-se solitária. Lembre-se de que ninguém muda esse sentimento, apenas você mesma. Então, não dê bola para essa cobrança absurda, seja ela direta ou indireta”, recomenda a psicóloga.

Redescubra seu amor próprio

Lembra da cobrança citada acima? Quando você permite que pessoas ao seu redor te encham de pensamentos maldosos, te colocando cada vez mais para baixo, isso a aproxima cada vez mais da solidão, e naturalmente de sentir-se solitária.  Isso só acontece quando se perde a autoestima e o amor próprio, então, como se reencontrar? Camila responde: “quando você parar de olhar para os lados, de ouvir dos outros o que deve ser ou fazer, e finalmente conseguir se ouvir e se olhar. No momento que isso acontece, é mais fácil se dar conta que, na verdade, sua própria companhia é uma delícia, e nunca percebeu isso. Com essa autoconfiança descoberta (ou redescoberta), estar consigo mesma nunca será sinônimo de solidão”.

Advertisement

Enquetes

enquete

Qual assunto você mais gosta de ver na newsletter do DaquiDali?

Carregando ... Carregando ...