Estímulos ao bebê na gravidez são verdadeira demonstração de afeto FOTO: thinkstock
Comportamento Conversa de Mãe

Estimule seu bebê ainda na barriga! Isso ajuda no desenvolvimento dele depois

É de se imaginar que a vida do feto no útero seja bastante serena e alheia a tudo que acontece no lado de fora. “Só que muitos estudos confirmam que ele desenvolve uma sensibilidade muito grande (lá dentro)”, diz a Dra. Glaucimara Nunes, ginecologista e obstetra do Hospital Oeste D’Or, do Rio de Janeiro (RJ).

+ Mulheres sofrem mais com estresse que os homens no ambiente profissional

+ Quatro tendências fitness para você apostar em 2017

+ Hora de reduzir? Ingestão de carne pode ser (muito) maléfica à saúde

De mãe para filho

Segundo o Dr. Domingos Mantelli, ginecologista e obstetra com formação em neurolinguística e autor do livro “Gestação: mitos e verdades sob o olhar do obstetra”, tudo isso acontece antes mesmo de o pequeno vir ao mundo. “Na verdade, ele passa a escutar a partir de aproximadamente 24, 25 semanas”, comenta. “Porém, já pode sentir os estímulos que são transmitidos principalmente através das alterações hormonais da mãe”.

Tudo pela calma

Massagem e toque são fundamentais podem ser sentidos através da parede uterina FOTO: thinkstock
Massagem e toque são fundamentais podem ser sentidos através da parede uterina FOTO: thinkstock

Portanto, aquelas que permanecem sob um estresse prolongado pelos meses de gestação, podem ter tanto o cortisol quanto a adrenalina elevados – o que chega a mexer com uma série de neurotransmissores que estão sendo constituídos, e influenciam na probabilidade de depressão na fase adulta (em quase três vezes mais, o médico afirma). “Da mesma forma, as que rejeitam o filho durante a gravidez, aumentam quase o dobro a chance de ele nascer com autismo ou esquizofrenia. Vale ressaltar que com três semanas já há um coração batendo e, com 10 dias, a primeira célula nervosa”.

A Dra. Nunes aconselha que se inicie o contato assim que souber que o resultado do teste foi positivo! “Demonstrando o quanto a criança é querida e desejada”, aponta. Essa ação, inclusive, é um fator muito relevante para a mulher, devido especialmente às mudanças no funcionamento do organismo e na estética. “A conscientização de que está se tornando mãe pode contribuir significativamente para que o período seja mais tranquilo, e evitar que ocorra a depressão pós-parto”. São muitas as maneiras possíveis despertar essa relação e, o quanto antes forem realizadas, melhor:

Alguém com quem conversar

Relaxamento e musicoterapia são ótimos estímulos para o bebê na barriga FOTO: thinkstock
Relaxamento e musicoterapia são ótimos estímulos para o bebê na barriga FOTO: thinkstock

“A mais importante é a demonstração de afeto. Pode parecer simples, mas traz inúmeros benefícios”, a doutora expõe. Conversar (ainda que em pensamento, manifestando todo o amor que sente) e contar historinhas facilitam o reconhecimento das vozes dos pais depois.

Sonoridade do amor

“Geralmente, é recomendável que se faça um relaxamento, em que se coloque uma determinada música, e sempre use exatamente a mesma, para criar um reflexo condicionado ao momento de paz”, o Dr. Mantelli indica. “Abaixe a luz, desligue o celular, aumente o som e passe a mão na barriga, falando tudo o que o pai e a mãe querem; ou seja, ‘você é bem-vindo, está sendo muito desejado, que venha com muita saúde’ etc.”. De acordo com o especialista, essa canção marcante pode até ser utilizada no parto para amenizar eventuais traumas, como após o nascimento, para acalmar o seu filho. Caso prefira, dá para “encaixar” fones de ouvido no próprio ventre – com um volume agradável – e tocar algo bem calmo.

Sensibilidade do tato

Acariciar e massagear o local permite que o serzinho sinta a pressão internamente. “Estimular com o contato físico na barriga também é uma alternativa de expressar carinho”, exemplifica a Dra. Nunes.

É importante que tanto o pai quanto a mãe sempre conversem com o filho ainda no útero. Isso ajuda no desenvolvimento dele depois FOTO: thinkstock
É importante que tanto o pai quanto a mãe sempre conversem com o filho ainda no útero. Isso ajuda no desenvolvimento dele depois FOTO: thinkstock

Em forma por dois

“A prática de exercícios direcionados à gestante é uma boa forma de estimulá-lo”, ela enfatiza. “Hidroginástica e Yoga são as mais indicadas, quando supervisionadas por profissionais aptos e autorizadas pelo médico”.

Onde o pai entra nisso tudo

Lembrando que a participação do pai é importantíssima por todo o período. “Ele é ator fundamental na interação e incentivo ao filho”, expõe. “É visível os ganhos no desenvolvimento do bebê durante a gestação uma vez que o pré-natal tem o acompanhamento do pai – seja nas consultas e/ou exames. Além do estreitamento dos laços com a cria, a presença dele tende a transmitir maior segurança à gestante”. De acordo com o Dr. Mantelli, a atuação efetiva do lado paterno ajuda a distingui-lo da figura materna.

Advertisement

Enquetes

enquete

Que esmalte é o seu queridinho da estação?

Carregando ... Carregando ...