Khloé Kardashian, Kylie Jenner e Kim Kardashian com as cintas, chamadas de Workout Corselet (corsete para malhar) nos EUA. Fotos: Reprodução/Instagram
Dieta e Fitness Vida Prática

Cinta durante os exercícios afina a cintura? Saiba tudo sobre a prática polêmica

Pode confessar, você já teve vontade de fazer – ou até já fez – alguma loucura para conseguir o corpo dos seus sonhos. E com tantas ideias milagrosas na internet é fácil acabar recorrendo a algum método controverso. O mais novo ganhou destaque com irmãs Kardashian: usar uma cinta bem apertada para modelar a cintura durante os exercícios físicos. Mas, afinal, o método funciona? É seguro? O DaquiDali conversou com especialistas para entender melhor essa tendência.

+ Novo mês das noivas! Inspire-se nos vestidos deslumbrantes das novelas

+ Hit nos anos 1990, o batom marrom surge repaginado e cheio de sofisticação

+ Treino metabólico promete continuar a queimar gorduras após o fim da atividade

Não tem nenhum efeito para o exercício em si ou para o emagrecimento, e podemos dizer que tem muito mais malefícios, sendo perigoso em algumas situações. O afinamento da cintura pode acontecer com o uso de cintas e espartilhos porque as últimas costelas são flutuantes, mas isso é momentâneo e acontece apenas enquanto você usa o acessório, ou no uso a longo prazo e por longos períodos”, explica o fisioterapeuta Emerson Lessa, coordenador do Centro de Reabilitação do Hospital 9 de Julho.

Os perigos da prática

Kourtney Kardashian e Gracyanne Barbosa são outras famosas que apostam na cinta para malhar. Fotos: Reprodução/Instagram
Kourtney Kardashian e Gracyanne Barbosa são outras famosas que apostam na cinta para malhar. Fotos: Reprodução/Instagram

Um dos maiores perigos da prática é por conta da pressão feita no tórax, o que acaba dificultando a respiração correta. “Quando você usa esse tipo de dispositivo contrai a musculatura e aperta demais, então encontra um problema de frequência respiratória quando você mais precisa. Uma atividade, principalmente aeróbica, promove um aumento dessa frequência para oxigenar as estruturas nobres do corpo, como coração e cérebro, e quando essa troca gasosa não acontece efetivamente você pode ter episódios de tontura e até desmaios”, alerta o ortopedista Luis Pollon.

Outro problema é a atrofia muscular, que pode acontecer no uso a longo prazo. “Ao colocar durante o exercício você está fazendo com que a musculatura profunda da coluna fique preguiçosa e fraca. Além disso, pelo aperto você restringe o retorno venoso para a chegada aos órgãos vitais, e a circulação é muito prejudicada”, completa Lessa.

Vale lembrar que é possível afinar ou aumentar áreas específicas do seu corpo de maneira saudável, optando pelos exercícios corretos. “Tudo depende de como você trata determinado local durante as atividades. Você deve conversar com o seu treinador para encontrar movimentos que trabalhem especificamente alguns músculos em detrimento de outros, o que vai modelar de maneira saudável, sem que você tenha uma redução desequilibrada de algumas áreas. Não adianta reinventar a roda, querer moldar seu corpo muito fora do que é a capacidade fisiológica dele não será bom para a sua saúde e ainda pode trazer problemas graves”, garante Pollon.

Advertisement

Enquetes

enquete

Qual tendência você acha mais difícil de usar?

Carregando ... Carregando ...