Foto: SIphotography/iStock
Carreira & Finanças

Você parece desesperada na entrevista de emprego? Descubra e mude isso

Com os altos índices de desemprego do país, os processos seletivos nunca estiveram tão concorridos: “a cada nova vaga, dezenas, e até centenas de candidatos, muitas vezes bem qualificados, concorrem a uma mesma posição. Nessas horas é natural sentir insegurança e até desespero”, explica Alessandra Fonseca, psicóloga, coach e sócia da ConsultaRH.

+ “EM TODA ENTREVISTA DE EMPREGO EU TRAVO! O QUE FAZER?” MASTER COACH RESPONDE!

+ PASSE LONGE! SAIBA O QUE MAIS IRRITA OS RECRUTADORES EM UMA ENTREVISTA DE EMPREGO

+ COMO LIDAR COM AS PERGUNTAS CLICHÊS DA ENTREVISTA DE EMPREGO

Mas como não deixar esses sentimentos transparecerem e diminuírem suas chances de recolocação? Aqui vão as dicas de acordo com alguns estilos (quase personagens) que frequentemente vêm à tona quando bate o desespero:

Os recrutadores estão assim por dentro quando a candidata não para de falar um minuto. Foto: SIphotography/iStock

A falante

Muitas pessoas, quando nervosas e sob pressão, começam a falar compulsivamente. Não deixam o entrevistador terminar as perguntas e, após alguns minutos de conversa, se tornam cansativas e até irritantes. “Preste atenção ao que o entrevistador pergunta e seja direta e concisa nas suas respostas. Saiba ouvir, ou seja, dê espaço para que o contratante faça intervenções durante suas falas e não conte tantos detalhes, se o entrevistador quiser se aprofundar em algum assunto, ele avisará”, diz Alessandra.

A sabe-tudo

Na ânsia de conseguir impressionar o entrevistador e conquistar aquela vaga, algumas pessoas querem demonstrar todo seu conhecimento e, “ao invés de autoconfiança, tornam-se arrogantes. É claro que a entrevista é um momento para ‘se vender’ da melhor forma, mas a humildade é sempre essencial. Evite se autoelogiar e demonstre seu conhecimento por meio dos resultados alcançados em seus projetos. Outro erro comum: a candidata desesperada tentar convencer o recrutador de que pode ocupar aquela posição, mesmo não tendo todos os requisitos”, ressalta a especialista.

A ansiedade é natural, mas pode te atrapalhar muito se for em excesso. Foto: SIphotography/iStock

 

A ansiosa

Como já foi dito, a ansiedade é natural durante uma seleção de emprego. Mas cuidado para que ela não fuja do padrão considerado normal, “fazendo com que você acabe tendo comportamentos prejudiciais à sua imagem, ou mesmo perca o controle emocional. Por exemplo: não comece a entrevista perguntando do salário, do horário de trabalho, se a empresa emenda os feriados, etc. Essa é uma atitude que irrita os entrevistadores e demonstra que o candidato não está interessado nas possibilidades (de carreira, aprendizado, etc.) que aquela vaga traz! Segure a ansiedade e deixe essas questões, caso sejam realmente muito relevantes para você, para o final da conversa“, recomenda a coach.

A mentirosa

Nunca, nunca minta para o entrevistador. Segundo a profissional, “às vezes, no desespero para impressionar, as pessoas acabam criando histórias e situações. Muitas inventam funções que nunca desempenharam, resultados ou mesmo performances muito acima do que as reais. Os recrutadores geralmente são experientes e treinados para perceber quando algo não é verdade. Além disso, eles podem buscar referências com antigos empregadores e, caso descubram algo diferente do que foi contado, sua credibilidade será afetada para sempre. Ao falar de suas experiências e habilidades, mostre o quanto aprendeu nas empresas anteriores“.

Ficar calada demais, fazendo a enigmática, tira quase todas as suas chances de ser aprovada. Foto: STUDIOGRANDOUEST/iStock

A fechadona ou desanimada

Aquela pessoa que se apresenta como desanimada ou aquela profissional extremamente introvertida e calada, “passa para o empregador uma sensação de desistência que destrói qualquer possibilidade de contratação.  Já tive experiência de uma pessoa que era muito competente e experiente mas, na hora da entrevista, só respondia ‘sim, não, claro’, e quase não entrava em detalhes das suas experiências profissionais. Apesar da situação crítica, é importante mostrar otimismo com relação ao futuro e, principalmente, mostrar-se disposta a trabalhar para alcançar seus objetivos!”, destaca a psicóloga.

Dicas gerais para evitar a ansiedade e o desespero na hora da entrevista

Treine antes: mentalmente ou com alguém de sua confiança, “simule a situação de entrevista, peça para a pessoa fazer perguntas-chave (aquelas normalmente feitas pelos entrevistadores para quebrar o gelo), fale sobre suas experiências, principais conquistas, dificuldades encontradas ao longo de sua carreira, etc.”, sugere a especialista.

Busque informações: se possível, pesquise sobre a empresa e a vaga antes da entrevista. A profissional explica que “isso te dará mais segurança e poderá saber melhor em que terreno está pisando, podendo inclusive fazer perguntas, quando pertinente, sobre o cargo”.

Chegue com antecedência de no mínimo 15 minutos: além de demonstrar organização, comprometimento e pontualidade, “te dará tempo para uma se preparar mentalmente para a entrevista, se reorganizar e rever seu planejamento e, acima de tudo, respirar e se acalmar“, afirma a coach.

Advertisement

Enquetes

enquete

Que problema da pele do rosto mais te incomoda?

Carregando ... Carregando ...