Foto: AnaBGD/iStock
Carreira & Finanças

Faça as pazes com o cofrinho! Como se programar agora para entrar em 2018 no azul

Faltam pouco mais de dois meses para a virada do ano, e se você está no vermelho, a boa notícia é que ainda dá tempo de “mexer os pauzinhos” para melhorar essa situação e entrar em 2018 no azul. Como? “O primeiro passo é mudar sua relação com o dinheiro, que provavelmente não está boa. Claro que pode ser por causa da economia, da crise etc., mas é fundamental analisar seu comportamento para identificar onde está errando e virar esse jogo”, diz o consultor financeiro pessoal Fábio Henrique, da Ponto de Equilíbrio Consultoria Financeira.

+ SEM DÍVIDAS! CONHEÇA E AVALIE A MELHOR OPORTUNIDADE PARA LIMPAR O SEU NOME

+ MANTENHA A CALMA! SAIBA NEGOCIAR COM CREDORES PARA PAGAR SUAS DÍVIDAS DE MANEIRA JUSTA

+ CASAL EM DÍVIDAS? SAIBA O QUE FAZER PARA QUE A FALTA DE DINHEIRO NÃO COMPROMETA A RELAÇÃO

Foto: gpointstudio/iStock

Comece organizando todo o seu orçamento

Já comece a fazer o seu orçamento para 2018 agora. Sem saber para onde vai seu dinheiro, como controlá-lo? O que isso inclui? “Coloque tudo no papel (ou em uma planilha): os salários que virão, férias, 13º, os rendimentos, caso você seja autônoma, as despesas, incluindo as anuais, como matrícula de escola, IPTU, seguro de carro etc., e já particione dividindo tudo isso ao longo do ano, ou seja, em 12 vezes, para já ir juntando dinheiro para essas parcelas. Considere 5% de “imprevistos” (uma festinha, um casamento etc.), que sempre acontecem. Com isso bem claro, já tem aí uma boa ideia de como vai ser o ano financeiramente falando”, explica Henrique.

Faça uma poupança

Independente do valor e do quanto você ganha, poupar é sempre uma ótima alternativa. “Não importa se vai tirar 2%, 5% ou 10%, metade do 13º ou das férias, uma renda extra que entre, não deixe de guardar dinheiro. Faça disso um hábito, todo mês, porque, se for algo esporádico, você pode esquecer ou mesmo furar vez ou outra, e aí nunca consegue juntar nada direito”, alerta o consultor.

Tenha um propósito

Se não tiver uma razão, um objetivo para guardar esse dinheiro, você gasta! Aqui, é melhorar sua situação financeira para o ano que vem, então esse martelo já está batido! Segundo o especialista, “para quem não sabe para onde vai, qualquer lugar serve. E dá para fazer isso de modo bem organizado, por exemplo, uma poupança para quitar as dívidas, outra para fazer uma viagem em família, e você não vai mexer no dinheiro de uma para realizar a outra. Sem esse controle, quando menos perceber, já se vê sem dinheiro algum de novo”.

Foto: g-stockstudio/iStock

Cuidado com a autossabotagem

Fique atenta aos seus pensamentos, pois eles podem te autossabotar com uma facilidade inimaginável. Henrique revela que, no mercado financeiro, muita gente diz que os maiores inimigos são os juros, a inflação, o salário baixo, a defasagem entre salário e correção entre produtos e serviços. “É aqui que entra o controle do impulso na hora da compra, identificar se aquela justificativa para gastar é realmente válida, como as velhas ‘eu mereço’ e ‘eu tô precisando’, por exemplo. Você pode até sair para comprar um presente por exemplo (o Natal está chegando, né?), e não saber o que quer dar, mas já ter em mente que ele tem que custar até ‘X’ reais, não deixar que a empolgação fale mais alto. Cuidado, você pode ser sua pior inimiga nesse sentido”.

Em suma, tente entender por que você não consegue juntar dinheiro, saiba que isso é possível mesmo ganhando pouco, e comece tentando, devagarzinho. À medida que os resultados dessa mudança de hábitos forem aparecendo, você vai se sentir mais estimulada a continuar, e não entrar 2018 no azul (ou menos no vermelho), mas manter isso para a vida. Boa sorte!

Advertisement

Enquetes

enquete

Que esmalte é o seu queridinho da estação?

Carregando ... Carregando ...