Foto: SIphotography/istock
Carreira & Finanças Mulher

Pensando em pegar um empréstimo? Antes, conheça alguns prós e contras!

Pegar dinheiro emprestado é uma decisão importante e que não pode ser tomada de qualquer jeito! Há quem o faça na ânsia de se livrar de uma dívida atual e quem trace um plano com começo, meio e fim para não ter problemas no futuro. Se você está pensando nisso, conheça alguns prós e contras, com exemplos de situações muitos comuns no dia a dia do brasileiro.

Antes de tudo, o ponto principal é: o empréstimo nunca vem sozinho, ele sempre traz juros embutidos. “Salvo exceções como família, por exemplo, mas no mercado, quem empresta dinheiro, financia algo, está cobrando o valor do dinheiro no tempo, e isso inclui a inflação e a desvalorização. Leve sempre isso em conta na hora de captar dinheiros de terceiros”, diz Fabio Henrique, psicólogo e consultor financeiro da Ponto de Equilíbrio Consultoria Financeira.

+ No azul! Quatro atitudes para eliminar da sua vida financeira
+ Está com o nome sujo? Especialista tira sete grandes dúvidas sobre o assunto
+ Quais os melhores investimentos para esse ano? Consultora financeira revela

Prós

Você pode trocar a taxa por uma menor ainda

É a conhecida portabilidade. O que é isso? Fábio explica: “fiz um empréstimo, pago 3% de taxas de juros no banco ‘x’ e tenho 24 parcelas de 500 reais. Aí o banco “y” me oferece um empréstimo a uma taxa menor que me dará 24 parcelas de 400 reais. Nesse caso, vale a pena pegar esse novo dinheiro no segundo banco, quitar a dívida pendente no banco anterior e continuar pagando um valor menor por mês quem sabe até em menos tempo também. Isso é muito viável”.

Foto: AlexRaths/istock
Pegar esse dinheiro para investir no sonho da casa própria pode ser um ponto bem positivo. Foto: AlexRaths/istock

Vale a pena para “investimentos-sonho”

E claro, consistentes, como a casa própria ou a abertura de um negócio próprio. Segundo o consultor, “a casa própria é um bem durável, as taxas de juros praticadas no mercado são relativamente baixas para o nosso País, e vale mais a pena ainda se você está pagando um valor significante de aluguel (não conquistando nada). Faça, por exemplo, um financiamento de muitos anos, mas que te permita pagar parcelas decrescentes e o melhor, conquistando um bem para chamar de seu”.

Já no caso do negócio próprio, “o empréstimo só é viável se você já o estudou, fez as contas, analisou os cenários e tem ciência dos riscos calculados. Naturalmente, não há certezas, mas a ótica positiva vem quando você pensa que está criando novas receitas, e pode pagar a dívida com a rentabilidade do novo empreendimento, lembrando que leva um tempo para que ela apareça e se estabeleça”, esclarece o especialista.

Contras

Foto: SIphotography/istock
Pegar empréstimo para cobrir gastos que você fez sem poder ou cobrir outro empréstimo é extremamente perigoso. Foto: SIphotography/istock

Quando você gasta mais do que tem e pega para pagar o rombo

O profissional exemplifica para facilitar o entendimento: “ganho 1000 reais e estou gastando 1200 reais. Dali três meses pego um empréstimo de 600 reais para cobrir o déficit do meu orçamento. Por que isso é negativo? Eu não devo captar mais dinheiro para cobrir um rombo, mas sim, ajustar meu orçamento para que eu passe a gastar menos ou consiga um dinheiro extra para suprir os gastos atuais”. Desse modo, você pode se afundar cada vez mais, é preciso estar atenta!

Pegar um empréstimo para pagar outro

Isso é um grande sinal de que sua situação não está boa e a partir de agora, pode explodir a qualquer momento. “A falta de organização e planejamento nesse caso podem deixar tudo mais grave, pois é uma bola de neve que cresce e pode te atropelar. Pense: se você não está conseguindo pagar o empréstimo atual, vai pegar outro? Vem uma nova parcela no mês seguinte, ou seja, piorou. Sendo assim, é fundamental parar, analisar o orçamento, negociar com o credor e tentar mudar o perfil dessa dívida, reduzir a parcela, tentar uma nova captação de recursos dentro da família, reduzir as despesas, etc., o importante é encaixar o orçamento. Se ganho 1000 reais e gasto 999 reais, já estou tendo lucro e garantindo prosperidade no futuro”, diz o consultor financeiro.