Sem dúvida! Saiba como lavar e tratar os cabelos do seu bebê

Devido à delicadeza dos fios, é importante que os xampus sejam apropriados e não causem alergias

2 de junho de 2016 - por Talitha Parlagreco
Os cabelos dos bebês podem ser lavados desde o nascimento, mas exigem alguns cuidados FOTO: thinkstock

Mamães de primeira viagem são sempre cheias de dúvidas. Pudera, afinal, os cuidados com o bebê não são poucos, e não se resumem apenas aos choros, às trocas de fralda e à amamentação. Quando chega a hora de lavar as finas madeixas dos recém-nascidos surgem as mais diversas perguntas e inseguranças: como proceder? Com que frequência? Quando devo cortar? Posso usar xampu? Como secar? Se você está nessa situação, o DaquiDali separou algumas dicas para ajudar.

+Seis mitos para você riscar de vez da sua rotina de maquiagem

+ A energia dos chakras e como elas podem tornar a sua vida muito melhor

+ Tudo o que você precisa saber sobre a vacina BCG

Primeiros passos

De acordo com o Dr. André Dutra, pediatra da maternidade Pro Matre Paulista, é necessário que a lavagem dos fios seja feita logo após o nascimento, em função da grande quantidade de sujidade no corpo e cabeça da criança. “O que deve ser considerado antes de executar o banho é se o bebê está em boas condições de saúde e bem adaptado à vida pós-natal”. Segundo ele, a mudança de temperatura e a manipulação excessiva nesse momento podem atrapalhar a ambientação daqueles que ainda necessitam de algum tipo de suporte médico.

A tração do elástico nos fios pode sim causar mais queda de cabelo e a quebra dos fios FOTO: thinkstock

A tração do elástico nos fios pode sim causar mais queda de cabelo e a quebra dos fios FOTO: thinkstock

Criando o hábito

Depois da primeira etapa cumprida, é continuar com a mesma atenção nesse sentido. Inclusive, é possível fazer esse a lavagem todos os dias. Para o especialista, a frequência vai depender da oleosidade do couro cabeludo, dos próprios costumes familiares e da presença sujeirinhas também.

Fazendo espuma

A ressalva fica com relação aos cosméticos: eles têm que ser específicos para a idade correspondente. “Os produtos para cuidado da pele e cabelo dos bebês têm como característica um PH próximo ao da pele. Dessa maneira, evitam o ressecamento excessivo e mantêm a hidratação necessária, sendo também menos alergênicos”, explica o médico. Não há necessidade de condicionador ou nenhum creme com o mesmo propósito – a não ser nos pimpolhinhos maiores um pouco, cujos fios são mais longos e propensos a embaraçar.

Cabeleira ao vento

Nada de secador ou qualquer aparelho depois do banho. “A melhor maneira de secar os cabelos é com uma toalha fralda, que absorve bem a umidade”, ele recomenda. “Como os fios são finos e em menor quantidade, secam rapidamente”.

Não há idade específica para o primeiro corte. Isso varia conforme a necessidade da criança FOTO: thinkstock

Não há idade específica para o primeiro corte. Isso varia conforme a necessidade da criança FOTO: thinkstock

Qual é o pente que te penteia?

Escovas de cerdas macias e que não agridam o couro cabeludo são as mais adequadas para soltar eventuais nozinhos e arrumar o penteado. Não se espante se houver queda  nesse momento, ou mesmo em outras situações. “Ela é normal e esperada”, conta o Dr. Dutra. Habitualmente, se intensifica por volta dos três meses de idade”.

Vai nascer

Ainda sobre a troca de cabelo, a circunstância se dá individualmente. Em alguns casos, a cabeleira só vai se desenvolver próximo do primeiro ano de vida – e ser careca nessa fase é um charme, não é mesmo? “Deve ser observado se a ausência de fios de cabelo está associada a alguma alteração do couro cabeludo”, ele enfatiza. Vermelhidão, descamação ou outras situações do gênero precisam ser levadas a um especialista.

Chuquinhas mil

Muito se escuta sobre não apertar tanto as chuquinhas nas madeixas, ou não deixá-las presas o tempo todo. De qualquer maneira, e de acordo com o doutor, deve-se evitar a utilização de adornos que possam aumentar o risco de sufocamento nos bebezinhos. “A tração dos fios por elásticos e prendedores também pode levar à queda mais precoce, e à quebra dos fios”, reforça.

Há bebês que já nascem com muitos cabelos e outros nem tanto. Mas quando a falta deles está relacionada aos problemas no couro cabeludo, deve-se buscar um médico FOTO: thinkstock

Há bebês que já nascem com muitos cabelos e outros nem tanto. Mas quando a falta deles está relacionada aos problemas no couro cabeludo, deve-se buscar um médico FOTO: thinkstock

Casquinhas

“A chamada crosta láctea ou dermatite seborreica é uma condição benigna e temporária causada pela grande secreção de gordura pelas glândulas sebáceas do couro cabeludo”, explica o pediatra. O que chega a ser comum em alguns pequenos. Segundo ele, não há motivo para pânico: “ela pode ser controlada com a aplicação de óleo emoliente (de amêndoas, por exemplo) nas regiões afetadas, 30 minutos antes do banho, com posterior retirada cuidadosa durante a lavagem”. De acordo com o médico, essa ocorrência não apresenta qualquer correspondência com maior propensão à caspa no futuro.

Só dois dedinhos, vai!

Há alguns mitos que rondam o primeiro corte de cabelo e, dentre eles, estão o que existe idade certa para isso; que o fio vai mudar se o cabeleireiro não tiver boa mão; que não pode cortar muito ou, ao contrário, que é preciso tirar “muitos dedos” para ele crescer forte e saudável. “Não há um momento único para isso ser realizado”, conta o Dr. Dutra. “A época varia para cada criança. Não é o corte que muda a característica do cabelo, e sim, os novos fios que estão crescendo após a queda habitual” – já mencionada, que ocorre nos primeiros meses de vida. E as mudanças não param aí; a tendência é de engrossamento dos fios e, inclusive, de variação da cor.

Tags: ,