Carne e derivados: comer ou não?

O momento é de analisar bem os produtos, sempre privilegiando uma alimentação saudável

27 de março de 2017 - por Roseli Ninomiya
Fotos: Thinkstock

A carne vermelha é importante na nutrição diária, pois fornece nutrientes essenciais para a saúde do organismo. É boa fonte de proteína, ferro e vitaminas do complexo B – principalmente a vitamina B 12 (essencial na prevenção da anemia e saúde do sistema nervoso). Do ponto de vista nutricional, seria indispensável seu consumo. No entanto, atualmente há como suplementar os nutrientes principalmente nas dietas vegetarianas.

Para obter o aproveitamento dos nutrientes da carne é necessário seu consumo estar aliado a fontes vegetais como frutas, legumes, e verduras. É importante lembrar que o consumo exagerado de cortes gordos, ricos em gordura saturada e colesterol, poderá adoecer o corpo. Também merece atenção o modo de preparo rico em sal e gorduras nos cortes magros.

Analisando o momento

Infelizmente, no Brasil, tivemos casos de produtores que venderam ao consumidor carnes e seus derivados contaminados, com prazo de validade adulterado, adicionaram elementos químicos para mascarar um produto de má qualidade.  É incrível que a ganância para obter lucro seja mais alta do que o valor à saúde e à vida do cliente.

A proteção para o cliente será neste momento conferir e não comprar de produtores que estão sob fiscalização. Ter atenção na qualidade e nas condições sanitárias do local de compra. Não acredito que a carne deva ser “banida” da alimentação.

Acredito que o intenso trabalho dos órgãos competentes, assim com a participação positiva da mídia, poderá ajudar a conferir qualidade em todos os alimentos – não somente no caso das carnes, mas também de alimentos orgânicos falsos, rótulos com informações duvidosas, ingredientes em quantidade superior ao informado, etc.