Daqui Dali

Um pouco do mundo, um mundo de coisas. Da vida, da sua e da minha. DAQUI E DALI.

Posts com a Tag ‘Superação’

Juiz de 94 anos transforma dor da perda em solidariedade e alegria para crianças de seu bairro

domingo, 3 de setembro de 2017

 

 

Ficar sem o amor da sua vida, a companhia de mais de 60 anos de convivência, pode ser algo avassalador. “Você nem imagina como é isso”, desabafa Keith Davison, um norte-americano de 94 anos que perdeu a esposa, Evy, em abril do ano passado, depois de 66 anos de casamento. “Você chora muito e isso acontece simplesmente porque ela não está lá”.

 

Triste e solitário, depois de um primeiro período de luto, esse ex-juiz teve uma solidária ideia para afastar o insuportável silêncio que tomou conta de seus dias depois da morte da mulher: juntou suas economias e mandou construir, em seu quintal, uma grande piscina. O intuito? Transformar a área externa de sua casa em um lugar de diversão para as crianças do bairro.

 

 

É que, apesar de ser pai de três filhos e adorar crianças, ele nunca teve netos. A iniciativa, claro, foi um tremendo sucesso e agora o viúvo convive com os diversos pequenos visitantes que espalham alegria e gratidão em seus dias. “Ele me disse que não tinha netos e eu disse, bem, agora você adotou todas as crianças da vizinhanças”, contou Jessica Huebner, que vive próximo ao juiz.

 

Com tantos jovens amigos ao seu redor, Davison voltou a sorrir. Assista no vídeo abaixo (em inglês):

 

 

Uma linda maneira de afastar a tristeza e, de quebra, fazer o bem, não é? Eu adorei, e você?

 

 

Gesto de amor: foto de família usando capacetes dentro de casa encanta a internet

terça-feira, 1 de agosto de 2017

 

Há alguns dias uma foto inusitada vem aparecendo em notícias e posts de diversas partes do mundo. E o motivo é muito especial: ela retrata um momento de cumplicidade familiar impulsionado pelo amor que uma garotinha sente por seu irmão bebê.

 

 

Na tão comentada imagem, os integrantes dessa família americana surgem com capacetes – alguns deles para ciclismo – dentro de casa. Parece estranho, não é? Mas tem uma boa explicação. É que o caçula da família, Jonas, de apenas quatro meses, foi diagnosticado com plagiocefalia (assimetria craniana) e precisará usar o capacete especial de três a seis meses para corrigir a parte de trás de sua cabeça, que é muito achatada.

 

Ao descobrir a necessidade do irmãozinho, Camila, de apenas 3 anos, decidiu mostrar seu apoio usando o “acessório”. “Ela quer que o irmão seja feliz e que ele não se sinta diferente”, explicou o pai dos dois, Gary Gutierrez, que também entrou nessa brincadeira solidária, ao “Buzzfeed”.

 

 

Muito especial ver como o amor e solidariedade podem transparecer mesmo em crianças tão pequenas e contagiar todos a sua volta, não é? Além disso, ao publicar a agora famosa foto de Gary e os filhos no Twitter, o jornalista Shae Serrano provocou uma onda de doçura e apoio, não só ao pequeno Jonas, mas a todos os bebês que também precisam usar o capacete. É sempre encantador quando a internet une as pessoas pelos bons sentimentos! Adoro!

 

Jogador de futebol abandona a carreira para doar parte do fígado ao sobrinho de nove meses

quinta-feira, 27 de julho de 2017

 

Depois do técnico de basquete que liberou um atleta para acompanhar o nascimento da filha e deu uma verdadeira lição sobre a emoção que é a chegada de um bebê, da tenista que parou a partida para agasalhar e garantir o bem-estar da filha, agora o esporte nos traz mais um exemplo de amor, carinho e solidariedade: um jogador de futebol argentino decidiu largar a carreira nos gramados para salvar a vida de seu sobrinho.

 

Alejandro Benítez, chamado de Lulo pelos companheiros de bola, atuava como atacante do Central Larroque, que atualmente disputa divisões de acesso no campeonato argentino. Aos 30 anos, ele ainda teria bons anos de carreira, mas optou pela aposentadoria ao saber que era o único capaz de doar parte do fígado para Milo, um bebê de apenas 9 meses.

 

 

“Era uma questão de vida ou morte, não podia falhar. Eu era o único compatível além da mãe de Milo, a minha irmã, mas ela fez uma cirurgia de coração e havia um grande risco. E esperar por uma doação anônima seria quase impossível pela situação do meu sobrinho. Então decidi abandonar tudo e fazer isso por ele”, explicou ao jornal argentino “Olé”.

 

De acordo com Lulo, a opção por encerrar a carreira veio depois de explicações médicas sobre o procedimento de doação. “Foi-me dito que o fígado não se regenera 100% e eu teria que fazer descanso completo por quase um ano”, disse o atleta, lembrando que teria que tomar cuidado com o corpo a corpo durante os jogos, além das pancadas da bola.

 

Ele está surpreso e comovido com o apoio de colegas, antigos rivais e desconhecidos. Mais do que isso, no entanto, o ex-atleta está muito emocionado por ver de perto a melhora do sobrinho. “Era uma flor que estava murchando e agora voltou a viver”, falou. “Eu o vi cinco dias depois da cirurgia. Foi o encontro mais emocionante da minha vida”, revelou à CNN em espanhol.

 

Publicado por Equipe Eliana

 

Superação e amor: beijo cheio de significado comove a internet

segunda-feira, 24 de julho de 2017

 

Um vídeo de poucos segundos mostrando um momento de amor, dedicação e superação ganhou a rede nos últimos dias. Nele, a professora de pilates norte-americana Laura Browning Grant ajuda o marido, Jonathan Grant, a levantar e firmar o corpo durante uma sessão de fisioterapia. Como recompensa, ela é surpreendida com um muito esperado beijo.

 

Too special not to share… #staystrongjonnygrant

A post shared by Laura Browning Grant (@laurabpilates) on

Esse singelo instante, que foi divulgado nas redes sociais de Laura, é apenas uma pequena parte da sofrida, difícil e bonita história que o casal vem dividindo nos últimos meses.

 

Os problemas começaram em março, menos de um mês antes de seu quinto aniversário de casamento, quando Jonathan sofreu grave acidente de automóvel que o deixou com uma grave lesão cerebral, em coma e com poucas chances de sobrevivência. Dezesseis dias depois, ainda em coma, ele conseguiu apertar a mão da esposa pela primeira vez.

 

 

“Eu sabia que ele estava me ouvindo”, disse Laura à revista “Cosmopolitan”. Apesar de seu otimismo, os médicos reforçaram a gravidade do quadro do marido. Só no início de abril que sua condição estabilizou e ele foi liberado do hospital para participar de um programa de 90 dias para ajudá-lo a retomar totalmente a consciência.

 

Laura deixou sua casa e seu trabalho, na Carolina do Norte, e se instalou em um hotel próximo ao centro de reabilitação, em Virginia. Foi lá, depois de muitas pequenas conquistas, que ocorreu o lindo e vitorioso momento do vídeo. “Nós não tínhamos sido capazes de levantar e nos abraçar desde o acidente, mas assim que ficou de pé, ele beijou meu pescoço”, falou ela. “Isso me deixou arrepiada. Você não sabe o quanto isso significa até que quase seja tirado de você“.

 

Embora os progressos continuem, Laura ainda não sabe até que ponto o marido irá se recuperar. Até o momento, ele já respira sozinho, consegue comer sem o tubo para alimentação, mas ainda não pode se comunicar, se vestir ou fazer outras pequenas atividades do dia a dia. “O mais difícil é o choque de realidade. É como se eu estivesse de luto pelo homem com quem me casei e pela vida que tínhamos, mas percebendo que a nova vida que teremos à frente será tão bonita quanto”.

 

Uma história de amor, companheirismo, cumplicidade e superação mais do que inspiradora, não é?

 

Publicado por Equipe Eliana

 

Garotinho de 10 anos dá linda lição de positividade e superação

sexta-feira, 21 de julho de 2017

 

Ter uma visão positiva da vida é um poderoso ingrediente para vencer os obstáculos que podem se apresentar pelo caminho. E é por essa atitude vibrante e otimista que Zion Harvey, um garotinho americano de apenas 10 anos, chama tanto a atenção.

 

 

Quando tinha apenas dois anos, ele enfrentou uma grave infecção e, por consequência precisou ter as mãos e os pés amputados. Com próteses nos membros inferiores, ele se tornou muito ativo e, além disso, aprendeu a usar os antebraços para escrever, comer e brincar.

 

Sua mãe, no entanto, queria dar ainda mais qualidade de vida ao filho e, por isso decidiu procurar próteses para suas mãos. Foi assim, em 2015, que a família se deparou com a oportunidade de Zion receber um transplante duplo.

 

Segundo os médicos do Children’s Hospital of Philadelphia, esse tipo de procedimento não é comum para crianças por conta dos remédios imunossupressores, que devem ser tomados pelo resto da vida do transplantado e podem apresentar alguns riscos em longo prazo. Zion, no entanto, havia passado por um transplante de rim e, por isso, já fazia uso dos medicamentos. Foi assim que, sem jamais perder o sorriso no rosto (veja em um vídeo em inglês feito pelo próprio hospital), ele se tornou o mais jovem paciente a receber um transplante duplo de membros.

 

Poucos dias após a cirurgia, Zion já podia mexer os dedos. Muito além de seu progresso físico, no entanto, ele impressionou a equipe médica por outro motivo. “Ele lidou incrivelmente bem com tudo, melhor do que muitos adultos lidam com uma cirurgia comum, mais simples”, disse Scott Levin, o diretor do programa de transplante de mão do Hospital Infantil. “Nunca vi Zion chorar. Nunca o vi gritar, ou se queixar de dor, nunca o vi querer fugir da terapia, ele é um ser humano notável“.

 

Agora, dois anos depois da cirurgia, o menino volta a surpreender a internet: com a ajuda de muita fisioterapia e força de vontade, ele já consegue pegar objetos, jogar baseball e até escrever. Com essa nova habilidade, o garoto tem um plano muito especial: “quero escrever uma carta aos pais (do doador), por me darem as mãos de seu filho, porque eles não precisavam fazer isso se não quisessem”, falou cheio de gratidão.

 

Zion também não esquece todo o apoio e o empenho de sua mãe, Pattie Ray, durante todo o processo. “Devo tudo à minha mãe, porque ela me ajudou nos momentos mais difíceis da minha vida”, disse o garotinho em entrevista. Para fechar o menino mostra um pouco mais de sua franqueza e sabedoria infantil. “No lugar de não ter nenhuma mão, agora eu tenho duas. Todo resto continua igual. Meus amigos não mudaram, eles me tratam da mesma maneira. Sou só um garoto”. Maravilhosa lição de persistência, otimismo e positividade, não é?

 

Publicado por Equipe Eliana