Daqui Dali

Um pouco do mundo, um mundo de coisas. Da vida, da sua e da minha. DAQUI E DALI.

Posts com a Tag ‘Poluição’

Bichinhos de pelúcia ajudam a educar crianças sobre a poluição dos oceanos

sexta-feira, 28 de abril de 2017

 

 

Bichinhos de pelúcia são companheiros praticamente inseparáveis da infância, não é? E foi por isso que a ONG Sea Shepherd decidiu utilizá-los como portadores de uma mensagem muito importante.

 

Com a ajuda de professores da primeira infância e sob o design da artista húngara Andrea Vida, a instituição criou um grupo de simpáticos animais, como baleias, golfinhos, pinguins e pelicanos coloridos e atrativos. Todos feitos à mão e apenas com materiais ecologicamente corretos.

 

 

Apesar da aparente fofura, cada um deles carrega em seu estômago peças que fazem alusão a resíduos de plástico, como copos, talheres, sacolas e muito mais. O motivo?  “Todo ano, um milhão de animais marinhos morre por conta da ingestão de plástico”, diz o vídeo que apresenta os oito PolluToys (abaixo, em inglês):

 

 

Esse problema é tão grave que há estimativas mostrando que em 2050 haverá mais plástico do que peixes nos mares!

 

 

A educação das novas gerações surge, então, como uma potencial solução para amenizar e acabar com essa triste realidade. “Entre os 3 e 5 anos, aprender através de brinquedos alavanca a retenção de memória em 77%”, conta a mesma gravação, explicando o uso das pelúcias e de suas histórias para comover e educar as crianças. Um jeito criativo, carinhoso e simples de ajudar a mudar o futuro, não é?

 

 

 

Artista usa suas esculturas para falar da poluição

quinta-feira, 23 de março de 2017

 

Cada obra de arte carrega em si uma mensagem, por mais sutil que ela seja. No caso do trabalho do escultor italiano Willy Verginer, no entanto, esse significado é tão direto quanto impactante.

 

 

Suas obras são esculpidas a partir de um único tronco de árvore com um nível de detalhamento impressionante. E, depois disso, os humanos ou animais retratados são pintados apenas parcialmente e com poucas cores.

 

 

Essa escolha até causa estranheza, mas ela dura poucos segundos: é fácil perceber a conexão dessas faixas de tinta com a poluição causada pelo homem, mas que também o afeta. Além disso, como aponta o site da revista “Hi-Fructose”, Verginer também representa paisagens naturais em tamanho miniatura em suas obras – uma maneira de nos lembrar que, apesar de poderosa, a natureza é frágil e precisa sim de cuidados e atenção.

 

 

Um trabalho lindo e com uma mensagem importante. Eu adorei, e você?

 

Sereias surgem em mar de plástico para alertar contra a poluição

quarta-feira, 21 de dezembro de 2016

 

Quantas garrafas plásticas você usa e descarta todo mês ou todo ano? Para se ter uma ideia, estatísticas mostram que um americano médio usa mais ou menos 167 desses recipientes por ano, então por volta dos 60 anos, ele terá consumido ao redor de 10 mil deles!

 

 

Esses números impressionantes começaram a incomodar o fotógrafo canadense Benjamin Von Wong, que decidiu encontrar um jeito criativo de tratar o assunto para tentar mudar algo. “Tudo que eu sabia era que a poluição plástica era um assunto chato e eu tinha que encontrar uma maneira de torná-lo mais interessante”, conta em seu site.

 

 

Foi aí que Von Wong teve a ideia de usar sereias como embaixadoras do seu apelo: com a ajuda de amigos e voluntários, ele pegou emprestadas 10 mil garrafas de um centro de reciclagem, limpou e separou por cores pra criar o mar sintético do projeto #MermaidsHatePlastic (sereias odeiam plástico, em tradução livre).

 

 

A partir daí, ele fotografou modelos vestidas como sereias desoladas em meio a muito, muito plástico. As imagens, muito bonitas, são um convite para um abaixo-assinado sobre o reuso do material. “Há uma revolução acontecendo agora de indivíduos carregando suas próprias canecas ou garrafas para reutilizá-las”, fala o texto da petição. “Faça isso pelo planeta, faça isso pelas crianças… e pelas sereias”, continua.

 

Um lindo trabalho de conscientização, não é? E você carrega sua própria garrafinha reutilizável e dispensa os copos descartáveis no escritório? Lembre-se de que qualquer pequena ação é muito significativa e pode ajudar a garantir um mundo com menos poluição.

 

Indiano cria talheres comestíveis para frear uso de utensílios descartáveis de plástico

segunda-feira, 28 de março de 2016

 

 

Nada melhor para começar a semana do que conhecer uma ótima ideia para diminuir a poluição do planeta, não é? Ainda mais quando ela vem de um lugar com muitos problemas ambientais, como a Índia.

 

O país é o maior consumidor de talhares descartáveis do mundo. Por lá, 120 bilhões desses objetos são usados e deixados de lado todos os anos! Pensando no péssimo impacto que tanto plástico causa e poderia causar a longo prazo, Narayana Peesapaty criou uma alternativa: garfos, facas e colheres comestíveis.

 

Sim, você não leu errado! Eles são feitos de milho, arroz e farinha de trigo e são assados até se tornarem sequinhos e resistentes. Seu criador defende, no vídeo abaixo (do site “Now This”), que além de funcionais, esses utensílios são saborosos.

 

 

Para harmonizar melhor com o gosto de cada um e com os pratos, os talheres Bakeys podem ser encontrados em sabores como açúcar, canela e gengibre, pimenta e muitos outros. Não achou uma boa ideia comer o talher depois da refeição? Assim mesmo ele tem vantagem sobre o plástico, já que se decompõe em quatro ou cinco dias.

 

Com quatro dólares é possível comprar 100 unidades. Peesapaty admite que seu produto, apesar de sustentável, é mais caro do que os concorrentes feitos em materiais sintéticos. Ele frisa, no entanto, que quanto mais talhares comestíveis vender, mais baratos eles ficarão. Bem que essa iniciativa poderia vir para o Brasil, não é? A Terra agradece.

 

 

Invenção sustentável: australianos criam lixeira para limpar os mares

segunda-feira, 14 de dezembro de 2015

 

 

Se a poluição do ar interfere diretamente na nossa qualidade de vida, a sujeira nos mares pode passar despercebida até aquela ida à praia ou a exibição de uma matéria sobre a quantidade de lixo despejado nessas águas.

 

É aterrorizante saber quantos pássaros e outros animais dependentes da vida marinha morrem ao ingerir pedaços de plástico, por exemplo, por confundir esse material com comida. Além da crueldade com esses seres, é essencial frisar a importância deles para o ecossistema, não é?

 

 

Para mudar um pouco esse triste cenário, os australianos Andrew Turton e Pete Ceglinki largaram seus empregos e decidiram se concentrar na criação de uma lixeira própria para recolher todo tipo de produtos descartados flutuantes, óleo, combustível e detergentes. Chamado de Seabin (lixeira do mar, em tradução livre), ele foi produzido, segundo o site oficial, para ser instalado em docas flutuantes, portos, hidrovias, portos e clubes náuticos, além de lagos privativos.

 

A ideia é bastante prática: um recipiente é ligado a uma bomba, que suga a água. Toda a sujeira fica retida, enquanto a água é devolvida. Depois disso, o material poluente é recolhido e o mar, claro, fica mais limpo. Dá para ver a Seabin em uso neste vídeo:

 

 

Muito bacana! Os responsáveis pela invenção esperam expandi-la em 2016 e, para isso, pedem colaborações pela internet. A torcida é para que eles consigam e que muito mais pessoas criem projetos preocupados com o meio ambiente. O planeta agradece e a gente também!