Daqui Dali

Um pouco do mundo, um mundo de coisas. Da vida, da sua e da minha. DAQUI E DALI.

Arquivo da Categoria ‘Solidariedade’

Garotinho de 8 anos cria projeto para levar comida e amor às pessoas em situação de rua

quinta-feira, 17 de agosto de 2017

 

Quando o mundo parece estar duro demais, de repente a ação de uma criança indica que sim, ainda é possível conseguir uma sociedade mais solidária e preocupada com o real bem-estar do outro. Bateu a curiosidade?

 

 

Adrian Young, um australiano de apenas 8 anos, ficou de coração partido ao encontrar um homem em situação de rua na sua cidade, Toowoomba. O garotinho deu algum dinheiro a ele, mas sentiu que deveria fazer mais. Conversando com sua mãe, ele descobriu que muitas outras pessoas também não tem casas e ficou extremamente entristecido.

 

Depois de conhecer essa realidade, Adrian não conseguiu parar de pensar no senhor que vivia nas ruas e, usando seu próprio dinheiro, montou para ele uma mochila com roupas quentes, itens de higiene pessoal e comida.

 

 

Esse reencontro fez com que o garotinho quisesse fazer ainda mais e, com a ajuda de sua mãe, montou 50 kits para entregar para outras pessoas em situação de rua. Sua atitude logo se espalhou e, por isso, a família decidiu criar uma página de financiamento coletivo para que Adrian continue distribuindo suas tão especiais sacolas em que, além de itens de necessidade, há um bilhete muito carinhoso. “Eu me importo com você. Com amor”.

 

 

Lindo, não é? Mais forte ainda é a frase que fecha a página de vaquinha virtual. “Sou Adrian Young e estou em uma missão para fazer a diferença”. Inspirador demais!

 

Inspirador! Corredor ajuda rival na linha de chegada e dá linda lição de solidariedade

terça-feira, 15 de agosto de 2017

 

 

Comecei o dia com um lindo exemplo de honestidade e de solidariedade, algo perfeito para elevar a esperança em um mundo que às vezes parece tão individualista. Rob Gomez surpreendeu a todos e chamou a atenção da mídia depois de participar de uma corrida nos Estados Unidos.

 

O corredor, de 34 anos, poderia ter ganhado o prêmio máximo da prova, de US $ 1.000, mas preferiu fazer algo diferente e inspirador: ao ver que Jesse Orach, o então líder da prova, havia caído em sua frente, no lugar de simplesmente passar o rival, ele o levantou, o abraçou nos últimos 50 metros do percurso e lhe deu um empurrãozinho para que Orach cruzasse primeiro a linha de chegada. Assista abaixo:

 

 

“Esta é talvez uma das histórias mais inspiradoras, se não a história mais inspiradora, que Beach to Beacon já contou, e aconteceu na linha de chegada”, disse Joan Benoit Samuelson, fundadora da corrida TD Bank Beach to Beacon 10K sobre o caso.

 

Apesar de ter surpreendido e comovido tantas pessoas com sua atitude, Gomez não vê nada demais no que ele fez. “Eles me colocaram no pedestal que eu realmente não mereço“, disse. “O que as pessoas viram foi apenas um exemplo da comunidade em execução. Não é realmente especial. É exatamente o que fazemos”, falou ele para o Press Herald.

 

Um lindo exemplo de solidariedade e humildade, não é? Inspirador demais!

 

União e sustentabilidade: mãe usa as camisas do marido para criar lindos vestidos para as filhas

sábado, 5 de agosto de 2017

 

Ontem o blog te mostrou como uma mãe utilizou de alimentos saudáveis e muita imaginação para melhorar as refeições de sua filha de 2 anos e criar ainda mais laços com ela. Hoje, o clima de inventividade maternal continua com a história de Stephanie Miller, uma ex-professora de artes que canalizou seu talento e criatividade para produzir algo incrível e, de quebra, passar uma importante lição aos filhos.

 

 

Mãe de quatro crianças, dois meninos e duas meninas, ela se sentiu distante de sua veia artística depois da maternidade, mas viu um mundo de possibilidades surgir quando ganhou uma máquina de costura.

 

 

Stephanie conta que passou a produzir, com a ajuda de tutoriais da internet, bichos de pelúcia. Isso lhe deu uma nova confiança e, quando viu as camisas que seu marido pretendia jogar fora, teve uma grande ideia: “fiquei frustrada ao perceber que ele iria se livrar de peças tão novas, mas que tinham encolhido. Então as mantive na esperança de fazer algo com elas”, disse em entrevista recente.

 

http://instagram.com/p/BU-F631hGgE/

 

Depois de muito pensar, decidiu tentar fazer um vestido para as suas filhas, que adoraram o resultado. “Agora, quando estou lavando roupas, elas ficam de olho nas camisas do pai e apontam aquelas que gostariam de ver transformadas”.

 

http://instagram.com/p/BSKbYb9BGDR/

 

Aos poucos a brincadeira fashion cresceu e Stephanie começou a produzir modelos cada vez mais adoráveis. Isso, claro, aumentou a união da família e rendeu uma importantíssima lição de criatividade e sustentabilidade. “Eu quero melhorar o mundo que me rodeia através da minha arte e espero inspirar os outros a fazer o mesmo”.

 

Gesto de amor: foto de família usando capacetes dentro de casa encanta a internet

terça-feira, 1 de agosto de 2017

 

Há alguns dias uma foto inusitada vem aparecendo em notícias e posts de diversas partes do mundo. E o motivo é muito especial: ela retrata um momento de cumplicidade familiar impulsionado pelo amor que uma garotinha sente por seu irmão bebê.

 

 

Na tão comentada imagem, os integrantes dessa família americana surgem com capacetes – alguns deles para ciclismo – dentro de casa. Parece estranho, não é? Mas tem uma boa explicação. É que o caçula da família, Jonas, de apenas quatro meses, foi diagnosticado com plagiocefalia (assimetria craniana) e precisará usar o capacete especial de três a seis meses para corrigir a parte de trás de sua cabeça, que é muito achatada.

 

Ao descobrir a necessidade do irmãozinho, Camila, de apenas 3 anos, decidiu mostrar seu apoio usando o “acessório”. “Ela quer que o irmão seja feliz e que ele não se sinta diferente”, explicou o pai dos dois, Gary Gutierrez, que também entrou nessa brincadeira solidária, ao “Buzzfeed”.

 

 

Muito especial ver como o amor e solidariedade podem transparecer mesmo em crianças tão pequenas e contagiar todos a sua volta, não é? Além disso, ao publicar a agora famosa foto de Gary e os filhos no Twitter, o jornalista Shae Serrano provocou uma onda de doçura e apoio, não só ao pequeno Jonas, mas a todos os bebês que também precisam usar o capacete. É sempre encantador quando a internet une as pessoas pelos bons sentimentos! Adoro!

 

Jogador de futebol abandona a carreira para doar parte do fígado ao sobrinho de nove meses

quinta-feira, 27 de julho de 2017

 

Depois do técnico de basquete que liberou um atleta para acompanhar o nascimento da filha e deu uma verdadeira lição sobre a emoção que é a chegada de um bebê, da tenista que parou a partida para agasalhar e garantir o bem-estar da filha, agora o esporte nos traz mais um exemplo de amor, carinho e solidariedade: um jogador de futebol argentino decidiu largar a carreira nos gramados para salvar a vida de seu sobrinho.

 

Alejandro Benítez, chamado de Lulo pelos companheiros de bola, atuava como atacante do Central Larroque, que atualmente disputa divisões de acesso no campeonato argentino. Aos 30 anos, ele ainda teria bons anos de carreira, mas optou pela aposentadoria ao saber que era o único capaz de doar parte do fígado para Milo, um bebê de apenas 9 meses.

 

 

“Era uma questão de vida ou morte, não podia falhar. Eu era o único compatível além da mãe de Milo, a minha irmã, mas ela fez uma cirurgia de coração e havia um grande risco. E esperar por uma doação anônima seria quase impossível pela situação do meu sobrinho. Então decidi abandonar tudo e fazer isso por ele”, explicou ao jornal argentino “Olé”.

 

De acordo com Lulo, a opção por encerrar a carreira veio depois de explicações médicas sobre o procedimento de doação. “Foi-me dito que o fígado não se regenera 100% e eu teria que fazer descanso completo por quase um ano”, disse o atleta, lembrando que teria que tomar cuidado com o corpo a corpo durante os jogos, além das pancadas da bola.

 

Ele está surpreso e comovido com o apoio de colegas, antigos rivais e desconhecidos. Mais do que isso, no entanto, o ex-atleta está muito emocionado por ver de perto a melhora do sobrinho. “Era uma flor que estava murchando e agora voltou a viver”, falou. “Eu o vi cinco dias depois da cirurgia. Foi o encontro mais emocionante da minha vida”, revelou à CNN em espanhol.

 

Publicado por Equipe Eliana