Daqui Dali

Um pouco do mundo, um mundo de coisas. Da vida, da sua e da minha. DAQUI E DALI.

Arquivo da Categoria ‘Música’

Dupla croata de violoncelistas faz versões deliciosas de hits do pop e do rock mundial

domingo, 7 de fevereiro de 2016

 

Quer uma trilha sonora alternativa para curtir esse feriadão de Carnaval? Uma boa sugestão é a dupla 2Cellos, que faz versões incríveis de hits consagrados do pop e do rock utilizando como base seus violoncelos.

 

É interessante demais ver como esses dois croatas, Luka Sulic e Stjepan Hauser, usam instrumentos tão comumente ligados ao universo erudito para recriar de maneira única e muito vibrante músicas como “Human Nature”, de Michael Jackson, ou “Smells Like Teen Spirit”, do Nirvana.

 

A dupla se tornou famosa em 2011, quando seu primeiro vídeo, “Smooth Criminal”, também cover de Michael Jackson, conquistou mai de 3 milhões de views apenas nas primeiras duas semanas de exibição. Depois disso, eles já lançaram três discos, usando elementos do pop e do erudito, e acumulam mais de 1 milhão e 300 mil inscrições em seu canal no YouTube.

 

Veja alguns de seus vídeos:

 

Aqui vai a versão cheia de energia de “Smells Like Teen Spirit”, do Nirvana

 

 

“Human Nature”, de Michael Jackson, foi vista mais de 1 milhão de vezes

 

 

A interpretação deles para “Viva La Vida”, do Coldplay, já tem 2 milhões de views

 

 

O cover de “Californication”, do Red Hot Chili Peppers, acumula mais de 4 milhões de visualizações

 

 

Gostou da dica? <3

Música de Adele é ponto de partida para balé cheio de força e sentimento

sábado, 23 de janeiro de 2016

 

 

A voz poderosa e as letras cheias de emoção entoadas por Adele são a companhia perfeita para aqueles momentos de maior introspecção. O sentimento contido em suas canções, no entanto, também pode inspirar lindas manifestações artísticas, como em um vídeo que tomou conta da internet nos últimos dias.

 

Na dança coreografada por Will B. Bell, os bailarinos DJ Smart e Zola Williams personificam o intenso e triste fim de relacionamento sobre o qual a cantora britânica fala em “All I Ask”, uma das faixas do disco “25”. Aperta o play:

 

 

Gostou? Muito além da técnica apurada e da sincronia dos movimentos, impressiona a verdade com que a coreografia completa essa letra dolorosa e bela. Vale a pena assistir – e mais de uma vez, né?

 

Banda cria versões retrô de hits de Taylor Swift, Katy Perry e muito mais

quarta-feira, 13 de janeiro de 2016

 

Sabe aquela horinha das férias em que nada é melhor do que descansar e passear sem nenhum compromisso pela internet? Foi em um desses momentos que eu descobri a banda Postmodern Jukebox (Jukebox Pós-moderna, em tradução livre para o nosso idioma).

 

O nome até pode soar complicado, mas o que eles fazem, é muito simples – além de incrível e muito gostoso de ouvir: vocalistas e músicos talentosos dão uma roupagem retrô totalmente inesperada a sucessos atuais.

 

Melhor do que tentar explicar é apreciar, por exemplo, “I Kissed a Girl”, um dos primeiros hits de Katy Perry, em uma versão anos 50:

 

 

O som é muito gostoso, não é? Para você se surpreender ainda mais, separei essa versão anos 60 de “Thinking Out Loud”, canção romântica de Ed Sheeran que povoou as rádios por bastante tempo:

 

 

Outra música que ficou demais é “Bad Romance”, de Lady Gaga, que recebeu um ar dos anos 20. Para completar o clima, tem até sapateado!

 

 

Entre as surpresas também há novas roupagens para músicas de Taylor Swift, como “Blank Space”, que aparece totalmente diferente nessa gravação:

 

 

Para fechar uma listinha com cinco versões bem diferentes, escolhi uma das mais animadas, “Bye, Bye, Bye”, do N’Sync, em Surf Rock (típico dos anos 60):

 

 

Demais! O Postmodern Jukebox faz tanto sucesso que está com a agenda de shows lotada na Europa. É possível, no entanto, ouvir (e ver) suas peripécias pelo canal no YouTube: tem muita coisa legal por lá, vale se perder e até criar sua própria seleção de versões vintage.

Uma homenagem ao ícone David Bowie

segunda-feira, 11 de janeiro de 2016

 

 

Enquanto curtia a minha viagem de férias fiquei sabendo que David Bowie nos deixou no domingo, aos 69 anos. Não é possível usar a palavra morte quando se fala de uma lenda como ele: prefiro acreditar que esse artista de tantas facetas agora habita nosso imaginário, local em que sempre passeou livremente.

 

Ziggy Stardust, The Thin White Duke, Jareth – o rei dos duendes… Bowie soube ser muitos, mas sem deixar de ser único. Ator, artista plástico e ícone da moda, foi com a música que deixou marcas incontestáveis ao misturar seu elegante rock com o soul e até a música eletrônica.

 

E é com algumas de suas canções mais conhecidas que presto a minha homenagem:

 

“Space Oddity” (1969)

 

 

“Life on Mars?” (1971)

 

 

“Starman” (1972)

 

 

“Heroes” (1977)

 

 

“Under Pressure”, em colaboração com o Queen (1982)

 

 

“As The World Falls Down”, do filme “Labirinto”, no qual também atuou (1984)

 

 

“This is not America” (1985)

 

 

Coloco aqui também seu último e sombrio clipe, da música “Lazarus”, lançado apenas três dias antes do anúncio de sua partida, e que tem entre os versos as palavras “Olhe aqui para cima. Estou no céu agora”. Precisa dizer mais?

 

Bailarinos fazem linda coreografia em homenagem aos 40 anos de “Bohemian Rhapsody”

domingo, 27 de dezembro de 2015

 

 

Esse é o último domingo de 2015. E, para entrar no clima de despedida, mas sem deixar a animação de lado, encontrei esse vídeo que mistura de um jeito único o balé com o rock and roll. Inusitado, não é? E lindo também.

 

 

A gravação foi feita em homenagem aos 40 anos da música “Bohemian Rhapsody”, clássico da banda Queen lançado em 1975. Na tela, sem um cenário rebuscado ou figurinos especiais, Erina Takahashi e James Forbat, dois nomes importantes do English National Ballet, dominam o espectador e recriam cada parte dessa ópera rock em uma coreografia forte e delicada ao mesmo tempo.

 

Os movimentos precisos dos bailarinos transformam até os momentos mais agitados da canção, quando as guitarras tomam conta, em leveza e pura admiração. Não à toa em apenas 10 dias o vídeo já foi visto mais de 1 milhão e 700 mil vezes!

 

 

A música, maravilhosa, encontrou sua tradução perfeita. Impossível assistir uma vez só. Eu adorei! E você?