Daqui Dali

Um pouco do mundo, um mundo de coisas. Da vida, da sua e da minha. DAQUI E DALI.

30 ago 15 10:04

Arquivo da Categoria ‘Cotidiano’

Projeto curioso mostra a evolução das revistas ao longo das décadas

domingo, 30 de agosto de 2015

 

As revistas informam e ditam tendências, mas também são influenciadas pelo tempo e pelos anseios de seu público. Por conta dessa relação, é possível ter uma boa amostra de como o mundo mudou apenas analisando suas capas, como mostra a série “Evolution of Magazine Covers” (Evolução das capas de revistas, em tradução para o português).

 

Criado pela videomaker Karen X. Cheng e pelo consultor de design Jerry Gabra, o projeto usa várias décadas de títulos mundialmente famosos para fazer um curioso panorama de informações e imagens relevantes ao longo dos anos.

 

Quer ver? Separei as capas de publicações mais conhecidas por aqui:

 

 

A ilustração com uma mulher em trajes mais conservadores e as poucas chamadas de capa de 1930 da “Cosmopolitan” contrastam com a imagem sexy e forte de cantora Nicki Minaj e as muitas notícias de destaque de 2015.

 

 

Para a dupla, a “Vogue”, famosa por conta de sua relação com a moda, soube se modernizar sem perder suas origens. É interessante ver, contudo, que personalidades da mídia ganharam mais espaço com o passar das décadas.

 

 

Eles defendem ainda a boa evolução da “Vanity Fair” ao comparar a capa ilustrada com duas mulheres usando maiôs comportados, de 1915, com a que traz a transexual Caitlyn Jenner, lançada esse ano e com grande furor.

 

Para fechar, Karen e Jerry destacam que, ao analisar as publicações é possível perceber que os leitores estão menos atentos e as revistas mais sexualizadas. Apesar disso, eles enxergam um lado positivo. “Ficamos com a mente mais aberta. A cada passo ao longo do caminho, a sociedade tem empurrado os limites do que é considerado aceitável”, afirmam. É uma boa conclusão para um mundo que carece tanto de igualdade de direitos, não é?

 

Generosidade é tudo de bom! Hoje é Dia Nacional do Voluntariado

sexta-feira, 28 de agosto de 2015

 

 

Hoje é dia de celebrar quem doa, sem querer nada em troca, seu tempo, suas habilidades e principalmente suas boas intenções: 28 de agosto é o Dia Nacional do Voluntariado.

 

Aquece o coração e traz a esperança para mais perto da gente saber que há no mundo quem coloque a generosidade como uma das missões de sua vida, não é?

 

Além disso, esse tipo de trabalho é uma maneira de se conhecer melhor, de adquirir experiências quase impossíveis de outra maneira, lidar com pessoas de uma cultura totalmente diferente da sua e se sentir útil. Ou seja: o voluntariado é sim uma via de duas mãos e pode ser muito recompensador.

 

Então, deixo aqui meus parabéns para quem já encontrou seu caminho nessa área. Se ainda não é seu caso, fica o convite: conheça as instituições da sua comunidade, pergunte se elas precisam de ajuda e, quem sabe, veja um mundo novo se abrir.

Celebre seu espírito jovem em qualquer idade

quarta-feira, 26 de agosto de 2015

 

A maneira como você usa os elementos da moda mostra, sem palavras, a sua personalidade e o seu estado de espírito: é uma poderosa forma de expressão. E nessa semana um senhor alemão ganhou destaque internacional por conta de sua preocupação ao vestir.

 

 

Você acha que ele se identifica com o rótulo de sobriedade muitas vezes aplicado aos idosos? Nada disso. Günther Krabbenhoft gosta de usar cores, de misturar estilos e de colocar pitadas modernas no visual, como as barras das calças dobradas e as botas de amarrar.

 

 

Ele foi fotografado na cidade de Berlim e chamou tanto a atenção que logo começaram a surgir boatos sobre a sua idade: chegaram a noticiar que o “It Vovô” teria 104 anos! Günther rebateu, recentemente, dizendo ter a metade disso.

 

 

Data na certidão de nascimento à parte, a jovialidade desse fashionista transborda em sua maneira de se apresentar à vida. E você, acha que idade tem a ver com o número de velhinhas que já apagou em sua vida? Fica a lição ;)

 

É para pensar: como um pai reage ao ver a filha sendo cantada?

segunda-feira, 24 de agosto de 2015

 

Andar pelas ruas sem escutar de um elogio “inocente” a uma cantada propositalmente ofensiva é quase impossível para qualquer mulher. E por mais que alguns homens entendam o potencial constrangimento que esse comportamento pode causar e o evitem, eles estão muito longe de viver essa realidade.

 

Pensando em aproximar mais os dois lados dessa questão, o canal do YouTube “The Scene” conduziu uma experiência interessante: filmou três garotas recebendo todo tipo de cantada e assédio e mostrou o material aos seus pais.

 

 

Já dá para imaginar que eles não ficaram nada contentes, né?

 

 

Onde está o respeito? Isso é falta de respeito!”, diz o primeiro pai, Joe, ao presenciar tudo o que a filha tem que ouvir de outros homens sobre seus atributos físicos. “Isso acontece muito?”, ele pergunta à menina, que responde: “Todo dia”.

 

 

O terceiro pai, Meir, reluta em entender como esses supostos elogios incomodam a filha. E até concorda com alguns dos que falam com ela nas ruas. “Ela é bonita, ele (assediador anônimo) não está mentindo”. É só quando um dos homens persegue a jovem insistentemente que Meir fica incomodado de verdade. “Isso me chateou. O jeito como ele fala, sem nenhuma vergonha, sem ao menos conhecer essa garota”

 

A revista “Cosmopolitan” norte-americana já tinha proposto algo semelhante ao exibir para namorados os impropérios que as namoradas ouvem quando estão sozinhas (clique aqui para assistir). Sim, nessa situação também o desconforto reinou por parte deles.

 

Mesmo vindo de frentes diferentes, essas duas iniciativas tem o mesmo objetivo: lembrar aos assediadores que eles têm mães, irmãs e filhas e, a partir disso, mostrar que o respeito é a melhor política em qualquer ocasião. Eles também frisam a importância da igualdade de gêneros, afinal é difícil um homem ser oprimido ao passear sozinho, não?

 

Casal celebra seu amor de mais de meio século com camisas românticas

domingo, 23 de agosto de 2015

 

Algumas imagens encantam pela simplicidade com que passam uma mensagem poderosa. E foi assim que, do nada, encontrei a foto desse casal, que mesmo de costas exala cumplicidade. O motivo? As camisas, que unidas, contam a história de uma vida compartilhada. “Juntos desde 1952”, dizem as peças usadas por Carol e Warren Reckmeyer, mostrando ao mundo que seu amor dura 63 anos!

 

 

E você acha que os dois torcem para os mesmos times? Nada disso! Eles são fanáticos por equipes rivais e ainda assim vão juntinhos ao estádio, como contaram a um canal de TV norte-americano.

 

Talvez esteja aí, nessa medida tão simples, uma das receitas para qualquer tipo de relacionamento durar: não apenas aceitar as diferenças, como usá-las a favor de uma vida em comum.

 

Seja como for, essa imagem é ótima para encher o coração e a semana de bons sentimentos, não?