Daqui Dali

Um pouco do mundo, um mundo de coisas. Da vida, da sua e da minha. DAQUI E DALI.

Arquivo da Categoria ‘Arte’

Essa artista cria esculturas lindas e delicadas para conscientizar as pessoas sobre a natureza ameaçada

domingo, 19 de fevereiro de 2017
Foto: Divulgação/NirVena

Foto: Divulgação/Etsy/NirVena

Usar a arte para lutar por uma causa é um gesto nobre. É o caso da artista búlgara Nevena Atanasova, que através do seu trabalho, chama atenção para as questões ambientais.

Foto: Divulgação/NirVena

Foto: Divulgação/Etsy/NirVena

Ela desenvolve esculturas de animais que ela mesma diz serem “belas, enérgicas e misteriosas”, e assim se esforça para compartilhar, de um jeito natural, seus sentimentos sobre consumo excessivo e como o meio ambiente está ameaçado.

Foto: Divulgação/NirVena

Foto: Divulgação/Etsy/NirVena

Entre os vários materiais que​ ela manipula, o arame é sua fascinação. Para Nevena, o fio é um material elegante e expressivo, que fala, traz a história e o toque do artista que o usa. Além disso, sua inspiração vem de todos os tipos de santuários antigos e lugares de outro mundo. Um trabalho lindo para apreciar, refletir e se inspirar. Eu amei. E você?

Foto: Divulgação/NirVena

Foto: Divulgação/Etsy/NirVena

Designer cria série de selos inspirados na cultura pop

quinta-feira, 16 de fevereiro de 2017

 

Quinta-feira já tem aquele perfume de fim de semana, não é? E para combinar com esse ar descontraído, nada melhor do que um pouquinho de cultura pop – principalmente quando transformada em algo novo e inesperado.

 

Foi por isso que trouxe aqui ao blog o trabalho do designer americano Clark Orr, que decidiu transformar personagens e filmes icônicos em pôsteres inspirados em selos. “Estou fazendo um tributo os meus clássicos favoritos através das lentes de uma coleção de selos”, disse em seu perfil do Instagram.

 

O mais legal é a variedade de obras retratadas, que vão desde desenhos animados, como “He-Man” e “Os Jetsons”, até filmes consagrados, como “O Iluminado”. Além de superinteressante, a coleção te proporciona a diversão de descobrir cada um dos títulos homenageados. Veja alguns:

 

Selos inspirados em “Os Jetsons” e “Os Caça-Fantasmas”

 

Selos para “A Fantástica Fábrica de Chocolate” e “E.T. – O Extraterrestre”.

 

Selos inspirados em He-Man e o vilão Esqueleto.

 

Para apreciar em um domingo belo e relaxante

domingo, 5 de fevereiro de 2017

 

Estava procurando algo que emanasse beleza e tranquilidade na mesma proporção para começar esse domingo. E foi aí que encontrei o trabalho de Matt Wisniewski, um desenvolvedor web e artista norte-americano que ficou famoso pela maneira única como mistura retratos de pessoas e cenas da natureza.

 

 

Para criar cada uma de suas obras, ele escolhe as imagens separadamente – sejam elas de colaborações com fotógrafos ou de portfólios online – e depois as combina utilizando programa de edição, como o Photoshop.

 

 

O mais interessante é que, apesar do processo se dar todo no meio digital, ele lembra bastante as técnicas de dupla exposição (muito usada na fotografia analógica, em que o negativo ou fotograma é exposto mais de uma vez para, geralmente, resultar em imagens que beiram o surreal). São criações lindas, inesperadas, que parecem saídas de um mundo mágico onde tudo é possível.

 

 

A cara do fim de semana, não é? Para ver mais do seu trabalho, é só acessar seu site oficial ou o Instagram.

 

Letras e números ganham charme inesperado pelas mãos dessa artista

domingo, 29 de janeiro de 2017

 

Sabeena Karnik trata as letras e números de uma maneira muito especial: ela utiliza técnicas de colagem e dobradura de papel – principalmente o quilling – para transformar cada um dos símbolos do alfabeto em arte.

 

 

Quer entender melhor? Essa ilustradora de Mumbai, na Índia, se utiliza em uma combinação de tipografia e ilustração para criar à mão não só lindos e coloridos desenhos, mas também para trazer luz, sombra, profundidade e textura a cada uma de suas peças.

 

 

De acordo com a própria artista, o processo é bastante trabalhoso e pode demorar mais de uma semana. Tudo começa na escolha e preparo do papel. “As tiras são enroladas, curvas, dobradas, arredondadas, embelezadas e depois coladas nas bordas para aplicar na base”, explicou em entrevista.

 

 

Sabeena, que estudou design gráfico, conta que seu interesse por esse tipo de arte aflorou há cerca de quatro anos, quando criou toda uma série sobre o alfabeto em uma tarde. O resultado desse experimento foi tão satisfatório que aos poucos se transformou em sua profissão. Hoje, ela colabora com revistas, capas de livro e vende suas peças na internet.

 

 

E para quem quer acreditar em seus talentos e promover uma mudança na vida, como ela fez, a artista deixa um recado: “Experimentar e assumir riscos é essencial no trabalho e na vida“, disse na mesma entrevista. Bom recado para começar a semana, não é?

 

Designer ucraniano coloca personagens de pinturas antigas em situações atuais

quinta-feira, 26 de janeiro de 2017

 

Um olhar mais aguçado tem a capacidade de te aproximar de um tipo de arte que à primeira vista pode parecer distante da realidade atual. E esse é o talento do artista, designer e diretor de arte ucraniano Alexey Kondakov, que conquistou o público por suas colagens: ele coloca personagens da arte renascentista em cenas dos dias de hoje.

 

 

É interessante como, depois do estranhamento inicial, os protagonistas das montagens surgem completamente integrados às locações do nosso cotidiano, como bares, trens do metrô, ruas e muito mais.

 

 

Kondakov conta que a ideia para o trabalho – que já se desdobrou em duas séries – apareceu quase sem querer. “Um dia estava trabalhando em uma imagem de ninfas oferecendo vinho para Baco. E comecei a pensar que nos dias antigos a vida não era tão diferente da nossa. Eles também gostavam de beber, conversar… Foi quando decidi colocar esses personagens em cenas modernas”, conta em um vídeo para uma exposição na Itália.

 

 

A partir daí, ele e a mulher começaram a procurar locais que combinariam com as imagens. A resposta do público, o artista diz, foi positiva. “Acho que o sucesso é por conta de as pessoas frequentemente se identificarem com os personagens, revendo algo que já viveram, imaginando situações”, fala.