Daqui Dali

Um pouco do mundo, um mundo de coisas. Da vida, da sua e da minha. DAQUI E DALI.

29 mar 17 15:21
Eliana

Sejam bem-vindos!

Tudo o que interessa ou ainda vai interessar.
Novidades, notícias, gostos, grandes assuntos, pequenos detalhes.
Um pouco do mundo, um mundo de coisas. Da vida, da sua e da minha. DAQUI E DALI.

bjobjo,

Eliana

29 mar 17 10:34 O incrível e pouco convencional trabalho de Johnson Tsang

 

 

Se você me acompanha no Instagram, deve ter percebido que nos últimos dias postei fotos de obras de arte (acima) que jogam de maneiras incríveis com rostos humanos. Os dois trabalhos são criações de Johnson Tsang, um escultor que vive em Hong Kong e tem como principal marca utilizar a porcelana de forma pouco convencional.

 

Bateu a vontade de conhecer mais sobre ele? O artista é autodidata e atuou como policial por 13 anos antes de seguir sua verdadeira vocação. “Em 1991, comecei a aprender cerâmica. Apaixonei-me imediatamente. Continuava tendo ideias quando não estava nas aulas. Dois anos depois, em 1993, decidi pedir demissão e explorar uma nova vida. Foi um momento que mudou a minha história para sempre”, disse em entrevista ao “Bein Art”.

 

 

Uma das imagens que postei é de sua última série, “Open Mind” (Mente aberta, em tradução livre), projeto que ficou pronto no finzinho de 2016. Nele, o artista parece refletir sobre estados emocionais ao esticar, puxar e remoldar figuras que surgem de olhos fechados. “Eu encontro paz de espírito quando toco a argila. Sinto-me satisfeito quando um problema é resolvido. Fico grato quando a missão está completa. Depois, sinto que amo ainda mais do que antes. Então fico animado a começar um novo projeto”, falou no mesmo bate-papo.

 

Se você quer ver mais do trabalho de Johnson Tsang, é só acessar seu site – onde também revela algumas etapas de suas obras – e seu perfil no Instagram.

 

28 mar 17 10:18 Incrível! Mapa destaca obras importantes da literatura mundial

 

Sempre falo por aqui das diferentes maneiras de viajar sem precisar sair fisicamente do lugar, não é? E uma nova oportunidade de conhecer mais desse imenso mundo vem de um mapa pra lá de diferente: no lugar de territórios, fronteiras e capitais, ele traz os livros mais famosos ou importantes de cada país.

 

 

Feito por um usuário do Reddit (site de discussões popular nos Estados Unidos) que se apresenta como Backfoward24, o mapa-múndi causa curiosidade e também discussão – afinal, a escolha dos títulos parece ter sido totalmente pessoal.

 

Ainda assim, é uma ótima seleção para quem quer navegar pela literatura mundial. Quer alguns exemplos? O Brasil é representado por “Dom Casmurro” (Machado de Assis), a Colômbia aparece com “Cem Anos de Solidão” (Gabriel García Márquez), os Estados Unidos ganham a estampa de “O Sol é Para Todos” (Harper Lee), a França é lembrada por “Os Miseráveis” (Victor Hugo) e a Rússia por “Guerra e Paz” (Leon Tolstoi). Para ver o mapa em alta e identificar todos os títulos (em inglês), é só clicar aqui.

 

Muito legal! O melhor é que, por conta do sucesso – e dos protestos gerados por alguns livros eleitos –, Backfoward24 já criou uma nova versão do mapa (acesse aqui). Qualquer um deles é um prato cheio para quem gosta de ler, não é? Eu curti!

 

27 mar 17 10:28 Comece a semana com uma pitada de diversão (e recortes de papel)

 

 

Às vezes pode ser difícil começar a semana com energia, imaginação e uma visão positiva do que está ao seu redor, não é? Por isso te convido a apreciar o trabalho de Rich McCor, um britânico que decidiu colocar seu toque pessoal e uma pitadinha de humor por onde passa.

 

Se você achou o nome familiar, acertou! Eu trouxe seu perfil no Instagram, o @paperboyo, ao blog em 2015, quando apresentei sua ideia simples e criativa de usar recortes de papel para completar e dar uma nova cara aos pontos turísticos de Londres, a cidade onde vive.

 

De lá para cá, no entanto, McCor visitou diversos países e se aperfeiçoou na arte de emprestar um ar divertido a paisagens ou situações muitas vezes antes vistas e clicadas. Ele ganhou tanta projeção que começou a ser convidado a conhecer diversas localidades e fotografar sua visão única sobre elas. “Tem sido uma incrível série de aventuras ao redor do mundo, tudo enquanto busco novos níveis de criatividade em minhas fotos”, contou ao site Bored Panda. “Estar em uma posição onde eu posso viajar, fazer o que eu amo e fazer as pessoas sorrir é um grande privilégio”, diz.

 

Veja algumas de suas fotos:

 

Torre de Pisa, Pisa, Itália

 

Torre Agbar, Barcelona, Espanha

 

City Hall, Norwich, Inglaterra

 

Muito legal, não é? Mas, muito além de seu trabalho, o mais inspirador é a maneira como Rich McCor consegue enxergar algo positivo e fora do comum por onde passa. Que tal levar um pouco dessa criatividade à sua rotina?

 

 

 

26 mar 17 10:14 Conheça a Embaixada da Bondade

 

Mostrar que a bondade tem sim espaço no mundo e que ela se faz cada vez mais necessária é uma missão de extrema importância. E um perfil no Instagram decidiu fazer isso de uma maneira leve, despretensiosa e gostosa de acompanhar.

 

Criado pelos australianos Kanesan Nathan e Amal Tofaili Bleed, o perfil The Embassy of Kindness (A Embaixada da Bondade, em tradução livre) vai para as ruas de qualquer cidade em que um dos dois esteja e convida as mais variadas pessoas a posarem para um retrato e falarem sobre fazer o bem. “Qualquer ato, não importa o quão grande ou pequeno, tem o poder de mudar a vida de alguém de maneira profunda”, disse Amal ao Blog do Instagram. “O projeto é sobre celebrar a nossa humanidade compartilhada”.

 

É com essa abordagem simples que a dupla encontra histórias maravilhosas de superação pessoal, de formas inesperadas de encontrar beleza na vida, de vontade de ajudar o próximo e muito mais – tudo com o olhar desarmado de quem é surpreendido pelos criadores da “Embaixada”. “Por conta desse projeto, posso caminhar até alguém e dizer ‘hey, estou fazendo um projeto fotográfico sobre a bondade, você se importa de me responder algumas perguntas? ’. Muitos estão abertos a isso”, contou Nathan ao jornal “Canberra Times”.

Leia a tradução de trechos de algumas conversas:

 

http://instagram.com/p/BQKLHJUAxwR/

“Hoje testemunhamos um ato de bondade aleatório por parte de Beth. Enquanto caminhava pela cidade para trabalhar, ela notou um pequeno pardal, incapaz de voar, pulando no pavimento movimentado. (…) Segurando o pássaro na palma da sua mão, ela o confortou enquanto ligávamos para uma linha de ajuda para a vida selvagem. (…) Beth teve que correr para uma reunião, mas pediu para ser informada sobre o que tinha acontecido. (…) Hoje ela nos lembrou que às vezes o mais gentil ato de compaixão também pode ser o mais poderoso

 

http://instagram.com/p/BRC8jhrA-WQ/

“Meu marido e eu nos separamos logo depois que eu dei à luz meu segundo filho. Tinha acabado de passar por uma cirurgia e tinha um filho pequeno também. Isso foi muito difícil, mas consegui superar por conta da bondade dos outros. (…) Tive sorte de ter um apoio tão grande ao meu redor. Como esposa e mãe eu não era tão amável quanto sou agora, porque estava focada em meu pequeno mundo particular. Poderia não ter começado meu próprio negócio se isso não tivesse acontecido. Nossa organização vende água engarrafada e damos os lucros para organizações com base em Camberra. Apoiamos aqueles que mais necessitam. (…) Faço isso porque bondade é um modo de vida”.

 

http://instagram.com/p/BN08onvBesG/

 

“Hoje, no Dia dos Direitos Humanos, encontramos uma vovó chamada Clare com uma importante mensagem sobre bondade e compaixão. Clare é parte do grupo Avós Contra a Detenção de Crianças Refugiadas. (…) ‘O grupo é incrivelmente importante para a gente porque nós sabemos que crianças, famílias e menores desacompanhados estão sendo retidos e nós queremos que eles sejam liberados. Todas essas pessoas já sofreram demais. (…) Minha vida foi amplamente focada para o desenvolvimento da primeira infância, eu realmente me preocupo com o que acontece com as crianças, mas também com as famílias e maravilhosos jovens e pessoas mais velhas. (…) Precisamos abrir nossos corações e levar a bondade aos refugiados’”.

 

Os depoimentos estão em inglês, mas vale a pena até utilizar ferramentas de tradução para poder se preencher com sentimentos de amor, de amizade e de conexão com o próximo. Eu adorei, e você?

 

 

25 mar 17 08:00 Ilustrações explicam palavras sobre o amor em diversos idiomas

 

O amor não depende de palavras para ser sentido e expressado, não é? Ainda assim, é uma delícia descobrir maneiras diferentes de falar sobre esse sentimento, como propõe a série “Language of Love” (língua do amor, em tradução livre).

 

Na onda da divertida moda de desbravar vocábulos que não tem tradução para o inglês, esse projeto usa ilustrações para tentar explicar um pouco a profundidade – e até o humor – de cada um dos selecionados. Tem até espaço para o nosso gostoso cafuné. Acompanhe, surpreenda-se e apaixone-se:

 

 

Norueguês: a sensação de euforia experimentada quando você começa a se apaixonar.

 

 

Híndi: a dor emocional sentida quanto se está longe de quem se ama.

 

 

Português: o movimento de passar os dedos pelos cabelos do seu amado.

 

 

Espanhol: sentir que foi flechado pelo Cupido (quando se tem uma forte conexão com alguém).

 

 

Tagalog (idioma das Filipinas): o desejo de beliscar ou apertar algo ou alguém que é irresistivelmente fofo.

 

Gostou? O projeto é produzido pela Expedia, uma companhia de viagens internacional, que criou um site com muitas outras palavras para fazer seu coração bater mais forte. Para ler tudo (em inglês), é só clicar aqui.