Daqui Dali

Um pouco do mundo, um mundo de coisas. Da vida, da sua e da minha. DAQUI E DALI.

23 jul 17 04:49
Eliana

Sejam bem-vindos!

Tudo o que interessa ou ainda vai interessar.
Novidades, notícias, gostos, grandes assuntos, pequenos detalhes.
Um pouco do mundo, um mundo de coisas. Da vida, da sua e da minha. DAQUI E DALI.

bjobjo,

Eliana

22 jul 17 10:33 Projeto usa as redes sociais para promover o reencontro de pessoas em situação de rua com suas famílias

 

Com um olhar mais atento e aberto às necessidades dos outros, é possível transformar as redes sociais em uma porta para promover encontros emocionantes, como mostra o carinhoso Miracle Messages (mensagens milagrosas, em tradução livre).

 

O projeto grava vídeos curtos de pessoas em situação de rua que gostariam de reestabelecer o contato com a família. Depois, voluntários colocam essas gravações nas redes sociais e tentam localizar os parentes.

 

Kevin Adler, o criador dessa ideia, conta que começou o projeto para homenagear a memória de seu tio Mark, um homem com esquizofrenia que, por diversas vezes durante 30 anos se desgarrou da família e acabou sem um teto. “Comecei a ‘Miracle Messages’ para aumentar a conscientização sobre o que é morar nas ruas, a partir da perspectiva de quem vive isso para causar um impacto imediato e tangível em suas rotinas. Usamos um pouco de tecnologia para ajudar os desabrigados a serem vistos como inestimáveis, completos e humanos”.

 

 

De acordo com ele, Miracle Messages começou em 2014, durante uma caminhada em São Francisco, nos Estados Unidos, na época de Natal. “Perguntamos às pessoas em situação de rua se elas queriam gravar uma mensagem por conta da data para um ente querido. Foi assim que conhecemos Jeffrey Gottshall. Ele fez um vídeo para sua irmã, que foi postado no Facebook. Dentro de 1 hora, a irmã de Jeffrey foi marcada na postagem. Em poucas semanas, moradores de sua cidade natal já haviam arrecado 5 mil dólares para ele. Um mês depois, ele conversou com a irmã pelo telefone pela primeira vez em 20 anos”.

 

Até agora, o projeto – que conta com financiamento coletivo – gravou mais de 130 vídeos, entregou 43 e reuniu 26 famílias. “Noventa por cento das mensagens que conseguimos entregar foram recebidas de forma positiva, e em cerca de 40% dos reencontros, a pessoa em situação de rua voltou a ter uma habitação estável ou morar com a família”, disse Adler ao New York Times.

 

Saiba um pouco mais nesse vídeo (em inglês):

 

 

Incrível, não é? Que cada vez mais famílias se reúnam!

 

Publicado por Equipe Eliana

21 jul 17 10:52 Garotinho de 10 anos dá linda lição de positividade e superação

 

Ter uma visão positiva da vida é um poderoso ingrediente para vencer os obstáculos que podem se apresentar pelo caminho. E é por essa atitude vibrante e otimista que Zion Harvey, um garotinho americano de apenas 10 anos, chama tanto a atenção.

 

 

Quando tinha apenas dois anos, ele enfrentou uma grave infecção e, por consequência precisou ter as mãos e os pés amputados. Com próteses nos membros inferiores, ele se tornou muito ativo e, além disso, aprendeu a usar os antebraços para escrever, comer e brincar.

 

Sua mãe, no entanto, queria dar ainda mais qualidade de vida ao filho e, por isso decidiu procurar próteses para suas mãos. Foi assim, em 2015, que a família se deparou com a oportunidade de Zion receber um transplante duplo.

 

Segundo os médicos do Children’s Hospital of Philadelphia, esse tipo de procedimento não é comum para crianças por conta dos remédios imunossupressores, que devem ser tomados pelo resto da vida do transplantado e podem apresentar alguns riscos em longo prazo. Zion, no entanto, havia passado por um transplante de rim e, por isso, já fazia uso dos medicamentos. Foi assim que, sem jamais perder o sorriso no rosto (veja em um vídeo em inglês feito pelo próprio hospital), ele se tornou o mais jovem paciente a receber um transplante duplo de membros.

 

Poucos dias após a cirurgia, Zion já podia mexer os dedos. Muito além de seu progresso físico, no entanto, ele impressionou a equipe médica por outro motivo. “Ele lidou incrivelmente bem com tudo, melhor do que muitos adultos lidam com uma cirurgia comum, mais simples”, disse Scott Levin, o diretor do programa de transplante de mão do Hospital Infantil. “Nunca vi Zion chorar. Nunca o vi gritar, ou se queixar de dor, nunca o vi querer fugir da terapia, ele é um ser humano notável“.

 

Agora, dois anos depois da cirurgia, o menino volta a surpreender a internet: com a ajuda de muita fisioterapia e força de vontade, ele já consegue pegar objetos, jogar baseball e até escrever. Com essa nova habilidade, o garoto tem um plano muito especial: “quero escrever uma carta aos pais (do doador), por me darem as mãos de seu filho, porque eles não precisavam fazer isso se não quisessem”, falou cheio de gratidão.

 

Zion também não esquece todo o apoio e o empenho de sua mãe, Pattie Ray, durante todo o processo. “Devo tudo à minha mãe, porque ela me ajudou nos momentos mais difíceis da minha vida”, disse o garotinho em entrevista. Para fechar o menino mostra um pouco mais de sua franqueza e sabedoria infantil. “No lugar de não ter nenhuma mão, agora eu tenho duas. Todo resto continua igual. Meus amigos não mudaram, eles me tratam da mesma maneira. Sou só um garoto”. Maravilhosa lição de persistência, otimismo e positividade, não é?

 

Publicado por Equipe Eliana

20 jul 17 10:11 Emocionante! Após linda surpresa sobre adoção, crianças vão às lágrimas

 

 

Um vídeo cheio de amor e emoção conseguiu trazer um olhar menos apressado e mais humano à internet nos últimos dias: a gravação caseira mostra o momento exato em que dois irmãos recebem, de um jeito encantador, a notícia da conclusão do processo de sua adoção.

 

Janielle, de 12 anos, e Elijah, de 10, já viviam com Courtney e Tom Gilmour há quase três anos e aguardavam o fim do processo para sentirem-se, no papel, parte da família da qual já eram membros nos sentimentos. “Soubemos rapidamente que queríamos adotá-los, mas às vezes o sistema não trabalha tão rápido quando o seu coração”, falou a mãe ao “USA Today”.

 

 

Ao saber do fim dessa parte burocrática, em abril desse ano, ela e o marido decidiram fazer algo especial para os filhos e organizaram uma viagem à Disney, onde revelariam a surpresa. Por conta de um post nas redes sociais, o parque ficou sabendo da ideia e foi assim que um dos personagens favoritos de crianças e adultos entrou em cena para deixar tudo ainda mais especial.

 

 

Janielle e Elijah foram convidados a conhecer o Mickey Mouse, que no meio de muitas brincadeiras, pediu que os garotos segurassem uma placa para tirar uma foto ao seu lado. Foi aí que eles leram o cartaz e a emoção tomou conta do jeito mais lindo e puro. Assista abaixo:

 

 

É muito comovente ver o alívio, amor e alegria estampados no rosto desses irmãos! Esse registro mágico foi assistido quase 2 milhões de vezes desde a sua publicação, no começo desse mês. E a história fica ainda mais tocante ao saber um pouco mais sobre a história dessa família especial, uma vez que Courtney também esteve em lares provisórios na sua infância, como contou à CBS News, e conhece bem a realidade dessas crianças.

 

Publicado por Equipe Eliana

 

 

19 jul 17 10:01 Garotinho cultiva horta e cria projeto para ajudar crianças que não tem o que comer

 

O simples fato de conhecer certas histórias pode aumentar seu otimismo, a esperança em um mundo melhor e, claro, iluminar qualquer dia cinzento. Duvida? Então fique por dentro da trajetória do pequeno Oliver, um canadense que vem contagiando sua comunidade com a vontade de fazer o bem.

 

 

Tudo começou em 2011, quando o garotinho tinha apenas seis anos e presenciou uma cena que o deixou intrigado: ele viu que crianças estavam revirando o lixo atrás recicláveis. Curioso, o menino perguntou o motivo daquela atividade. Sua mãe explicou, então, que nem todos tinham as mesmas condições financeiras que sua filha e por isso, precisavam procurar e vender esses materiais para ter o que comer.

 

Aquela revelação chocou Oliver profundamente. E ele não pensou duas vezes: propôs à família que usasse o dinheiro da horta cultivada no quintal – e que seria gasto em uma viagem de férias – para ajudar essas crianças e jovens em dificuldades. “Como pai acho que foi um momento bastante iluminado”, falou Stacey Allen-Cillis, sua mãe, a um site local. “Isso me deixou surpresa, porque ele tinha seis anos e, para ele, reconhecer essa necessidade foi algo impressionante. Foi um momento de muito orgulho”.

 

 

Sua mãe, o pai, Calum, e a irmãzinha Piper logo embarcaram na ideia e decidiram vender os vegetais na porta de casa. Dessa tímida, porém preciosa, iniciativa nasceu o “Oliver’s Garden Project. Atualmente, além da horta no quintal original, o projeto também instalou plantações nas casas de cinco outras famílias. Todos os produtos são comercializados no sistema “pague o que puder” e o valor das vendas é revertido para organizações canadenses que trabalham com crianças e jovens carentes.

 

Stacey, claro, é mais do que coruja ao falar do empenho dos filhos nessa linda missão. “Eu acho que eles veem o efeito positivo que tem. Não só eles entendem como cultivar sua própria comida, como também presenciam o resultado de suas ações e como isso afeta os que as cercam”. E no site do projeto ela vai além: “Nós só queremos que a próxima geração esteja mais ciente de sua prole e de suas ações. Cultivar seus próprios produtos e compartilhá-lo ensina tanto!“.

 

Publicado por Equipe Eliana

 

 

18 jul 17 11:22 Garotinha comemora 8 anos de sua história de superação com gratidão e amor ao próximo

 

 

O que você quer ganhar de presente de aniversário? Foi ao responder essa pergunta comum de um jeito lindo e inusitado que a pequena Alannah viu a sua história ganhar a internet. É que para celebrar seus 8 anos, comemorados no início de junho, ela decidiu pedir cobertores e livros infantis para doar a bebês internados na UTI neonatal do Women & Children’s Hospital, em Buffalo, nos Estados Unidos.

 

 

Em uma carta enviada a um site local, a garotinha conta que há um motivo especial para essa ideia. Alannah nasceu nove semanas antes do previsto e, por conta de uma doença rara, passou seus primeiros 80 dias hospitalizada. No texto, ela diz que estava tão doente e frágil que seus pais não puderam pegá-la no colo até que completou um mês. “Tudo que eles podiam fazer por mim era ler, já que tocar minha mão ou minha cabeça me deixava chateada. A minha mãe leu pra mim em cada um dos 80 dias que eu fiquei internada”.

 

 

Além disso, por conta da fragilidade inicial, Alannah não podia usar roupinhas e os cobertores do hospital pareciam irritar sua pele. “Meus pais trouxeram alguns cobertores suaves e agradáveis que as enfermeiras colocaram sobre mim para me deixar confortável, o que me relaxou para que eu pudesse crescer e ficar saudável”.

 

Como mostra esse emocionante relato, a menina resolveu ajudar quem agora se encontra em uma situação que ela conhece muito bem. “Quero ajudar os bebês e os pais na UTI neonatal porque ela ocupa um lugar especial no coração da minha família, já que me ajudou a ficar saudável. Também quero trazer sorrisos para as mamães e os papais, porque minha mãe me disse que, às vezes, a UTI pode ser um lugar triste para os pais”.

 

Muito tocante ver como uma criança tão jovem demonstra a sua gratidão e quer ajudar ao próximo, não é? Suas lindas palavras chegaram a muitos corações: Alannah arrecadou 131 cobertores e 115 livros!

 

Publicado por Equipe Eliana