Cinco motivos pelos quais você não tem as unhas que gostaria

Pequenos hábitos são responsáveis por acabar com a força e a beleza

25 de novembro de 2016 - por Naiara Taborda
olgaecat/iStock

Ter unhas fortes e bonitas mais parece um sonho distante? Pois é hora de virar esse jogo e transformar o desejo em realidade: descubra cinco motivos comuns  por trás do enfraquecimento e da quebra e risque de uma vez por todas da sua rotina.

+ Rodrigo Cintra aponta as maiores tendências para o verão 2017

+ Saiba como resolver emergências comuns de pele em um estalar de dedos

+ Viagem no tempo: peças de cada década para ter um guarda-roupa antenado

Suas unhas estão muito longas

Por mais que você goste de unhas longas, o excesso de comprimento não é considerado bom, e muitas vezes é o maior culpado pelas lascas e quebras constantes. “Se a unha é fina e comprida a chance de quebra é muito maior. Outro fator é que a ponta dos dedos é feita para agarrar as coisas, e se a unha vai muito além do ponto mais alto é ela que vai fazer essa função e sofrer traumas. A forma como você lixa ou corta também interfere: se for usar o formato quadrado sempre arredonde as laterais para que elas não lasquem com tanta facilidade”, explica a dermatologista Daniela Leal.

Arredondar os cantinhos das unhas evita traumas e atritos. Foto: Stockbyte

Arredondar os cantinhos das unhas evita traumas e atritos. Foto: Stockbyte

Você toca demais nelas

Levar muito os dedos à boca, ficar mexendo nos cantinhos ou lascando o esmalte são hábitos bastante comuns, mas muito prejudiciais. “Toda vez que você coloca a unha na boca, seja para roer ou só tirar pele, diminui a proteção natural da região. E a chance de pegar infecções fica aumentada, porque a boca é o local mais contaminado do nosso organismo. Manipular demais também é ruim, porque qualquer coisa que faça pressão pode machucar a matriz da unha e fazer uma espécie de cicatriz que forma sulcos no meio e no comprimento. A lâmina da unha é muito fina, e toda vez que você atrita acaba levando um pouco dela, que fica cada vez mais fina e começa a lascar”, alerta.

A hidratação está baixa

Você ainda ignora a recomendação de hidratar?  “A unha é composta de 30% de água, então ela precisa muito de hidratação. Prefira os cremes mais aquosos, porque quanto mais base de água ele tiver, melhor vai penetrar. Para quem tem o costume de esmaltar semanalmente a recomendação é passar um hidratante próprio para a região antes de cada esmaltação, e cerca de um grão de arroz já é suficiente para as duas mãos. Isso é importante porque o removedor de esmalte é altamente desidratante e você precisa recuperar”, indica.

Hidrate toda vez que for esmaltar as unhas. Foto: Ridofranz/iStock

Hidrate toda vez que for esmaltar as unhas. Foto: Ridofranz/iStock

Excesso de manicure em gel

A esmaltação em gel é uma ótima pedida para viagens e até a temporada de festas de final de ano, mas cuidado com os exageros. “É muito ruim para a unha e deveria te ajudar apenas em situações específicas, como uma viagem. O esmalte em si não é ruim, mas o removedor é altamente corrosivo e prejudicial, então faça dela uma aliada esporádica e nunca algo presente na rotina”, adverte.

Você não se alimenta corretamente

Uma boa alimentação reflete diretamente na beleza de cabelos e unhas, e se você tem notado modificações é bom procurar ter certeza de que ela está adequada: “A unha não é prioridade de organismo nenhum, ela é um dos últimos locais a receberem vitaminas. Se você tem queixas de quebras frequentes ou fraqueza, pode ser necessário suplementar”.

Tags: , ,