Guia das mechas: veja as diferenças e escolha a melhor para você
Cabelos

Guia das mechas: conheça as diferenças e escolha a melhor para você

Nesta época do ano, cabelos mais claros, leves e iluminados ganham destaque e viram um verdadeiro sonho de consumo para quem gosta de estar sempre dentro das tendências. Mas como conseguir as mechas ideais? Com diferentes nomes, efeitos e tempo de manutenção, não é incomum pedir pelo procedimento errado, e nessa hora o que era para ser uma alegria se torna uma tremenda frustração.

+ Drible os efeitos do verão nos cabelos com as dicas de Rodrigo Cintra

“Nessa época as mechas aumentam bastante, principalmente a californiana, que não precisa de um cuidado tão frequente nessa fase em que as pessoas têm menos tempo”, explica a cabeleireira especialista em coloração Marleide Carvalho Rocha, do Shades Studio.

Tintura versus tonalizante

Antes é essencial saber a diferença entre colorações com e sem amônia. “Com amônia é aquela que não sai do fio. Ela abre a cúticula na hora e pigmenta melhor, é permanente”, conta. Apesar da vantagem no quesito tempo, ela exige um grande cuidado: “precisa de uma manutenção maior de hidratação e tratamentos de reposição, cuidado com alergias e teste de mechas”.

Já os chamados tonalizantes são mais leves e podem ser liberados até mesmo para gestantes, contanto que com aval médico. “É superficial e temporário, mas também agride menos”, garante.

Depois de escolher a coloração mais adequada, resta saber que tipo de mecha mais combina com você:

Californiana

Como dito, essa é uma das técnicas mais procuradas, isso porque não exige retoque e pode dar um aspecto bem natural. “É para mesclar com o seu cabelo, para iluminar como se ele estivesse queimado de sol. Você pode variar os tons entre mais claros e mais fechados, dosando bem para não ficar marcado onde ela começa”, diz.

Antes de fazer, leve em conta o comprimento das suas madeixas, ou a tintura pode ficar muito nítida e estragar o efeito. “Indicamos sempre do ombro para baixo. Para quem tem fios curtos, o melhor é o ombré hair, que é um tom sobre tom suave, mas praticamente nele inteiro com uma pequena raiz”, indica.

Luzes

As luzes, também conhecidas como reflexo, vêm desde a raiz e podem ter quantidades diversas. “Elas podem tanto só iluminar quanto deixar realmente muito loiro, você dosa pelos espaços entre as camadas”, conta. Por ser em toda a extensão, essa mecha necessita de um retoque mais constante: “a média é de dois a três meses, principalmente para quem gosta de bem claro”.

Apesar de bem aceita por quase todos os fios, algumas cores são mais difíceis de conseguir, de acordo com o fundo, e podem danificar muito se não houver cuidado. “Os cabelos coloridos de castanho são mais difíceis de dar tons claros, então é melhor optar pelo castanho claro ou os avermelhados. E para os quimicamente tratados é preciso fazer um teste de mechas para ver se é compatível e se não vai agredir demais”, adverte.

Balaiagem

Precursora da californiana, a balaiagem tem o mesmo efeito, sem necessitar de retoque. “A diferença é que ela é em quantidade muito maior e bem mais clara, para quem quer mesmo o loiro”, fala a profissional.

Henna

A henna é uma opção mais natural para colorir, e geralmente é indicada para a cobertura dos brancos. “Ela cobre os fios, pigmentando bem, e deixa um efeito de luzes dependendo da tonalidade escolhida”, revela. Mesmo contendo ingredientes leves, ela não está livre do teste de mechas: “tem que fazer quando vai passar por algum relaxamento, porque alguns têm efeitos como quebras e outros danos difíceis de resolver”, ressalta. Uma vantagem? Só precisa de retoque quando suas madeixas realmente crescerem. 

Tags

Advertisement

Enquetes

enquete

Qual tendência você acha mais difícil de usar?

Carregando ... Carregando ...