Foto: Staras/iStock
Beleza Saúde

A Ciência está pedindo para você dar uma maneirada no glitter. Entenda o motivo!

O glitter ganhou força no Carnaval, e de lá para cá, literalmente, tem brilhado cada vez mais, principalmente quando o assunto é beleza. Mas esse grãozinho bem pequenininho e cintilante tem o poder de fazer um estrago de alcance muito grande, e não tem nada a ver com errar a mão na hora da maquiagem. Sabe por quê?

“Eu acho que todo glitter deve ser banido, porque é microplástico”, disse ao The Independent a Dra. Trisia Farrelly, antropóloga ambiental da Universidade Massey, na Nova Zelândia. Por serem partículas de plástico tão pequenas, apresentam potencial risco ecológico com possibilidade de alto impacto ambiental, principalmente por serem considerados um alimento atraente para muitos animais. De plânctons a baleias, os cientistas acharam indícios dessa partícula brilhosa, inclusive em casos fatais.

+ SAÚDE X BELEZA: QUATRO CUIDADOS PARA QUEM É ADEPTA DO ALONGAMENTO DOS CABELOS

+ OITO ERROS COM A LINGERIE QUE PODEM PREJUDICAR A SAÚDE E O SEU LOOK

+ DICAS PARA MANTER A SAÚDE DA REGIÃO ÍNTIMA NOS DIAS DE MUITO CALOR

É no banho que o glitter dos produtos escorre pelo ralo e vai parar nos oceanos do mundo todo. Foto: vadimguzhva/iStock

Cuidado, humanos!

O perigo é tão alto que o microplástico está cotado para ser banido dos produtos no Reino Unido (atitude que já existe em alguns lugares dos Estados Unidos). Richard Thompson, professor da Universidade de Plymouth, que liderou um estudo de como os plásticos afetam os ambientes marinhos, disse: “eu fiquei bastante preocupado quando alguém comprou para minhas filhas algum gel de banho que tinha partículas brilhantes”.

Quando a pessoa toma banho, a água sai do seu banheiro para os oceanos, e desse modo, os peixes e frutos do mar que você come podem ter esse “brilho próprio” nada bem-vindo.”Essa coisa vai escapar pelo ralo e potencialmente entrar no meio ambiente“, destacou Thompson.

Isso só reforça o que Farrelly ressaltou: “quando as pessoas pensam sobre brilho, eles pensam nos de festa e de vestir”, e complementou: “mas o brilho também inclui os de cosméticos, o tipo mais cotidiano em que as pessoas não pensam tanto”.

Impacto mundial

O glitter não é tendência em vários países, o que não significa que ele não esteja presente por aí. Um estudo da Orb Media revelou que, de 159 amostras de água potável do mundo todo, 83% continham fibras (invisíveis a olho nu) de microplástico. Aqui no Brasil, isso se confirmou depois de uma recente pesquisa feita pela Universidade de Minnesota, nos Estados Unidos e publicada no jornal Folha de S.Paulo: nove de cada 10 garrafas de 500 ml com água coletada das torneiras continham microplásticos. Vale lembrar que na capital paulistana é muito comum tomar água direto dessa fonte. 

Felizmente, você pode fazer uma versão natural, é só clicar no link mais abaixo para aprender. Foto: QueenMargo/iStock

Não acaba por aí

Você já sabe que o glitter é feito de plástico, mas ele ainda contém alumínio e o plástico chamado PET. A antropóloga foi atrás dos efeitos dessas substâncias para a saúde e concluiu que são nocivas, já que, ao liberarem substâncias químicas, podem causar alterações hormonais não só em humanos como também em animais e ainda alguns tipos de câncer e doenças neurológicas.

A solução!

Lá no Carnaval, o DaquiDali já tinha te sugerido fazer seu próprio “glitter natural”. Clique aqui para saber como, e ainda pegue as dicas do dermatologista para brilhar por aí sem agredir sua pele e o meio ambiente!

Advertisement

Enquetes

enquete

Qual tendência você acha mais difícil de usar?

Carregando ... Carregando ...